0
Shares
Pinterest Google+

A psicóloga, palestrante e coach Janete Schulz foi ao Diário do Estado falar sobre o lançamento do seu livro “Sim, você pode!” e também de assuntos que giram em torno das preocupações do mundo feminino como a carreira, casamento, filhos e segundo ela, principalmente, autoestima.

A escritora se disse satisfeita com o resultado de sua obra. “Eu peguei toda a teoria e juntei com a prática. Juntei com um casamento sólido de 24 anos, minha experiência com meus três filhos. Então eu tenho além do conteúdo teórico, a minha vida. O meu diferencial foi casar teoria com prática. Eu tenho vários resultados”.

Janete afirmou que para a realização do livro foi necessária muita pesquisa e que também foi utilizada a parte prática na qual ela conviveu em seus anos de carreira. “O livro não saiu do dia para a noite. São dezessete anos que eu estou atendendo. São cursos nos Estados Unidos, São Paulo, Rio de Janeiro. A gente vive buscando um lugar ao mundo. Não podemos nos enganar, o mundo é extremamente competitivo”.

A psicóloga disse que parte dos problemas vividos pelas mulheres poderiam ser diminuídos com diálogo. “Muitas mulheres reclamam para mim que estão sobrecarregadas. É importante ter o equilíbrio dos papéis. Você tem tempo de ouvir você mesma? Suas demandas? Você tem cuidado do seu casamento? Você tem ouvido seu filho? Para lá na frente, na adolescência, não estar ‘arrancando os cabelos’? Será que essa mulher ouviu ele? Educou?”

Para Janete é necessário, antes de qualquer medida, que a mulher se conheça. “A mulher precisa de um tempo para saber quem ela é. Por isso eu chamo de livro-mentoria. Eu dou algumas ferramentas de coaching. Faço algumas perguntas para que ela entenda que onde ela está hoje não necessariamente precisa ser a vida inteira. Ela pode preparar um plano”.

Outro ponto destacado por ela é o planejamento. De acordo com a escritora, é preciso fazer planos. “Se a pessoa não sabe quem ela é, não vai saber para onde está indo. E se ela não sabe para onde ela está indo qualquer lugar serve. Aí eu pergunto para onde você está levando sua vida? É muito ruim uma mulher levar uma vida sem planejamento”.

Segundo a escritora, a maior reclamação das mulheres está relacionada a criação dos filhos. “A mulher muitas vezes está cuidando dela, investindo na carreira, mas ela está com dificuldade para entender essa nova geração. O diálogo foi cortado. Não é a toa que o maior capítulo desse livro é a criação de filhos”.