10 curiosidades sobre a música

Confira a lista com fatos interessantes e curiosidades que você provavelmente ainda não sabe sobre a música

O Dia Internacional do Músico é comemorado hoje, 22 de novembro, data escolhida por ser também o dia de Santa Cecília. Em 1594, a Igreja Católica escolheu a Santa para ser a padroeira dos artistas de música sacra. Isso porque, segundo a crença, Santa Cecília cantou para Deus enquanto morria. Aqui no Brasil, a data também marca o Dia da Música. Em comemoração ao dia, o Diário do Estado preparou uma lista com 10 fatos interessantes e curiosidades que vão te ajudar a conhecer um pouco mais sobre a música.

10. A música pode ser utilizada como tratamento para mal de Parkinson e pacientes que sofreram AVC. Neurologistas afirmam que a musicoterapia, por tempo prolongado, pode melhorar e muito a saúde de um paciente.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

9. Só uma em cada 10 mil pessoas consegue reconhecer uma nota musical de ouvido, sem referência. O chamado “ouvido absoluto”  é um fenômeno raro, e as pessoas que nascem com essa habilidade são capazes reconhecer sons de notas musicas em qualquer ruído ou barulho que emita um som tonal.

8. Músicas felizes ou tristes afetam a forma como você enxerga o mundo. Estudos comprovam que o nosso cérebro tem a capacidade de associar diversas informações dos nossos sentidos e ao mesmo tempo, ele realiza uma somatória de todos os estímulos recebidos. Um exemplo para isso é que se você estiver chateado, ao escutar uma música feliz, o seu ânimo se eleva, fazendo com que você veja as coisas á sua volta de uma forma mais positiva.

7. De modo geral, músicos tendem a ter uma média de vida menor que o resto da população. Um estudo chamado Stairway to H*ll: Life and Death in the Pop Music Industry avaliou a longevidade de músicos comparada à do resto da população americana. O resultado foi que, em média, músicos vivem 25 anos a menos. O estudo foi realizado com base em dados de músicos da indústria pop, rock e outros diversos estilos. A principal causa para este é o resultado são os excessos no uso de drogas, álcool e o ritmo acelerado da carreira e vida pessoal.

6. A música estimula e utiliza praticamente todo o nosso cérebro e seu potencial. Poucas são as atividades que estimulam todas as áreas do cérebro e a música é uma delas. Especialmente quando ouvimos uma música e tentamos desvendar o sentido da letra e sua interpretação.

5. A música ajuda a acelerar a velocidade do crescimento das plantas. Um estudo realizado na Coréia do Sul afirmou que as plantas crescem mais rápido quando tocamos músicas para elas. A pesquisa foi realizada com peças clássicas, como a Sonata ao Luar de Beethoven, que foram reproduzidas para diferentes plantações, que apresentaram um resultado muito positivo. Segundo os cientistas, as plantas possuem um gene que as permitem “escutar”.

4. Fãs de música clássica e de heavy metal tem personalidades semelhantes. Uma pesquisa feita pela Universidade da Escócia traçou um perfil dos fãs de cada gênero musical, analisando cerca de 36 mil pessoas no mundo todo. Fora a diferença de idade, os pesquisadores descobriram que os fãs de heavy metal e de música clássica têm personalidades praticamente iguais: são criativos, introspectivos e tranquilos.

3. A chamada “Anedonia musical” afeta 5% das pessoas, que simplesmente não gostam de música. Mas isso não é uma doença, são pessoas que apreciam ouvir outas coisas, outros estímulos para o ouvido do que ouvir música.

2. É muito comum associarmos músicas específicas á certos eventos que ocorreram na nossa vida, conscientemente ou não. Acontece que quando temos uma música preferida, ela provavelmente remeta ou te lembre de algum evento emocional que passamos, mesmo que não nos lembremos qual seja. Geralmente, o nosso cérebro sempre irá associá-la a alguma boa memória.

1. O show gratuito com o maior público de todos os tempos foi realizado no Brasil! De acordo com o Guinness World Records, o show de Rod Stewart no RJ em 1993 teve o maior número de pessoas da história de concertos gratuitos. Foi no Ano Novo, e cerca de 4,2 milhões de pessoas estiveram presentes na Praia de Copacabana

Tags: