Jornal Diário do Estado

10 curiosidades sobre o veganismo

Confira a lista de fatos interessantes e curiosidades que você provavelmente ainda não sabe sobre sobre o estilo de vida vegano

Veganismo é um estilo de vida em ascensão que vai muito além de não comer carne, envolve se abster de qualquer coisa que tenha um ingrediente animal, o que inclui produtos de beleza e limpeza. O movimento que luta, entre outros inúmeros fatores, contra a exploração animal vem ganhando cada dia mais força no Brasil e no mundo, calcula-se que, cerca de 4 a 7 milhões de brasileiros sejam adeptos ou estejam em vias de aumentar o grupo vegano no país. Para te ajudar a entender um pouco mais sobre esse estilo de vida preparamos uma lista com 10 curiosidades e fatos interessantes sobre o veganismo que você provavelmente ainda não conhece.

10. O termo “veganismo” não é algo novo

A palavra veganismo foi usado pela primeira vez em 1944, por Donald Watson. Ele queria definir um tipo de vegetarianismo ainda mais restrito, que exclui todos os alimentos derivados de animais por razões éticas. Por isso, é diferente do vegetarianismo, que permite alimentos de origem animal, porém somente os que não implicam sacrifício dos animais.

9. Vontade de comer carne 

Comer carne pode ser algo mais cultural do que uma necessidade biológica. Muitos adeptos do veganismo relatam como perderam totalmente a vontade de comer carne depois de se acostumarem aos seus hábitos alimentares veganos. Muitos desses adeptos apontam que a carne deixa de despertar desejo depois de um tempo sem consumi-la.

8. Recitas veganas 

O primeiro livro de receitas veganas foi publicado em 1910. A obra se chamava “No animal food: two essays and 100 recipes” e foi escrita pelo britânico Rupert H. Wheldon.

7. Ajuda na meditação 

Os praticantes de meditação também relatam os benefícios de ficar sem comer carne e produtos de origem animal. Para quem tem um estilo de vida mais voltado para as práticas espirituais, excluir esses alimentos da dieta pode ajudar a deixar a mente mais tranquila e mais focada para práticas como a meditação e o relaxamento.

6. Veganismo na Grécia Antiga 

Os relatos mais antigos nos contam que o filósofo e matemático grego Pitágoras foi um defensor de uma alimentação vegetal. Segundo ele, a alimentação humana deveria ocorrer sem derramamento de sangue. O termo “dieta pitagórica” é usado como sinônimo de uma dieta vegana.

5. Veganismo x Vegetarianismo 

Veganismo e vegetarianismo não são as mesmas coisas. Quem é vegano não consome nenhum tipo de produto ou alimento que tenha origem animal. Isso inclui produtos cosméticos, roupas, entre outras coisas. Já o vegetariano é mais flexível. Ele não come carne, mas consome alimentos como ovos e leite e também consome outros produtos que tenham algum componente de origem animal.

4. Saúde 

Diversos estudos sobre o veganismo associam efeitos positivos de saúde com a maior utilização de produtos de origem vegetal e restrição de produtos oriundos do reino animal. De acordo com inúmeros estudos científicos – cada vez mais frequentes e – , o consumo de carnes está diretamente associado ao maior risco de doenças crônicas e degenerativas como diabetes, obesidade, hipertensão e alguns tipos de câncer.

3. Impactos para o meio ambiente 

Um dos pontos defendido pelo veganismo seria a preservação do meio ambiente, uma vez que, segundo a ONU, o setor pecuário é o maior responsável pela erosão de solos e contaminação de mananciais aquíferos do mundo. A ONU também estimou que cerca de 14,5% das emissões de gases do efeito estufa oriundas de atividades humanas têm origem no setor pecuário. A maior parte do desmatamento da Amazônia tem sua origem na produção de carnes, laticínios e ovos. 97% do farelo de soja e 60% do milho produzidos globalmente são utilizados não para consumo humano, mas para virar ração para as fazendas e granjas industriais, produzindo alimentos a uma eficiência muito baixa.

2. Menos estresse

O consumo de carne tem um problema que vai além da ingestão dela. Dependendo de como o animal for tratado em cativeiro e como for abatido, pode liberar hormônios ligado ao estresse e medo. E depois consumimos esses hormônios.

1. Dieta rica em nutrientes 

Um dos pontos fortes de uma dieta vegana é a quantidade de nutrientes, vitaminas e fibras que você pode ingerir. Como costuma ter alimentos mais saudáveis em sua composição, essa dieta pode ajudar até mesmo a prevenir algumas doenças e a manter o organismo funcionando bem. O importante é conversar com especialistas e pedir para um nutricionista ajudar no plano alimentar. Dessa forma, você poderá ter uma alimentação saudável e sem se preocupar com falta de nutrientes.