10 curiosidades sobre os eclipses lunares

Confira a lista com fatos interessantes e curiosidades que você provavelmente ainda não sabe sobre os eclipses lunares

Os brasileiro poderão acompanhar na madrugada desta sexta-feira (19/11) o maior eclipse lunar dos últimos 580 anos. Com mais de três horas de duração, o evento estará visível aproximadamente entre 3h15 e 5h30. No auge do fenômeno, a Lua terá mais de 97% de sua superfície coberta pela sombra da Terra e ganhará uma aparência avermelhada. O fenômeno poderá ser visto em toda a América do Norte, bem como em grandes partes da América do Sul, Polinésia, leste da Austrália e nordeste da Ásia. O eclipse lunar ocorre quando a Lua passa pela sombra projetada pela Terra, em alinhamento com o Sol, o que ocorre apenas no período de Lua cheia. É justamente a posição central da terra entre a estrela e o satélite que garante o privilégio de assistir ao espetáculo natural sem pressa. Preparamos uma lista com 10 fatos interessantes e curiosidades para quem quer saber tudo sobre os eclipses lunares.

10.  Acredita-se quem em 1503, os navios de Cristóvão Colombo encalharam na Jamaica, durante o ano em que os europeus esperavam pelo resgate, os nativos foram quem garantiram sua sobrevivência. Porém, chegou um momento em que os nativos cansaram de alimentá-los. Colombo tinha um almanaque a bordo e sabia que um eclipse lunar aconteceria em breve. Pouco antes do fenômeno, em 1º de março de 1504, ele disse aos índios que seu deus estava com raiva e lhes mostraria isso naquela noite. Quando nosso satélite ficou eclipsado, os nativos prometeram continuar a garantir o sustento dos navegantes se o deus de Colombo restaurasse a Lua.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

9. Um Eclipse Lunar ocorre quando Lua, Terra e Sol encontram-se em alinhamento no espaço. Nesse momento, a Lua passa pelo cone de sombra projetado pela Terra e por isso, ela é escurecida por algum tempo. Todos aqueles que estão na metade do globo que tem visibilidade para a Lua podem observar o eclipse.

8. Existem os eclipses lunares penumbrais, parciais e totais. Todos esses tipos de eclipse estão relacionados à posição relativa do observador na Terra.

  • Eclipses penumbrais: a superfície da lua fica levemente escurecida ao atravessar a região do cone de penumbra produzido pela Terra;
  • Eclipses lunares parciais: somente parte da sombra da Terra é projetada sobre a Lua;
  • Eclipses totais: toda a superfície lunar é coberta pela sombra da Terra.

7. O eclipse lunar acontece somente com a lua cheia, pois é nesse momento em que ela está completamente alinhada com a Terra em relação ao Sol. Na verdade, podemos dizer que esse fenômeno é algo relativamente raro, pois, graças à inclinação de 5º da lua em relação à órbita da Terra ao redor do sol, quase sempre a lua está “em cima” ou “embaixo” da sombra da Terra.

6. Os budistas tibetanos acreditam que as boas e más ações praticadas durante um eclipse lunar são multiplicadas por mil.

5. Quando o eclipse atinge sua totalidade, a Lua assume uma coloração avermelhada. O mesmo fenômeno que torna a Lua avermelhada durante um eclipse é o que faz nosso céu ser azul durante o dia e alaranjado no pôr do Sol. O fenômeno conhecido como Dispersão de Rayleigh explica (entre outras coisas) a dispersão da luz do Sol enquanto ela viaja através da atmosfera. Os gases da atmosfera terrestre refletem mais a componente azul da luz, por isso, o céu é azul durante o dia. Quando o Sol está próximo ao horizonte, como há muito mais atmosfera nessa direção, a quantidade de luz azul dispersada é muito maior, e ao retirar o azul da luz branca do Sol, sobra a luz amarela e alaranjada.

4. Para os antigos chineses, um eclipse lunar significava que o Dragão (energia solar, masculina) estava tentando devorar a Lua (energia feminina). Já de acordo com um mito sul-africano, o Sol e a Lua lutam durante um eclipse. Cabe às pessoas se unirem e encorajarem os dois corpos celestes a resolver sua disputa.

3. Se pudéssemos observar um eclipse lunar total a partir da Lua, veríamos a Terra ocultando completamente o Sol, mas ainda veríamos a Coroa Solar e uma espécie de anel avermelhado em torno da Terra, formado pela luz do Sol refletida na atmosfera.

2. Baseadas na crença de que a Lua controla e regula a vida na Terra, muitas tribos norte- americanas afirmam que os eclipses lunares são um sinal de transformação. Para os navajos, por exemplo, essas ocasiões servem para restaurar o equilíbrio do universo e são celebradas com cantos, danças e convivência em família.

1.  Uma descrição de eclipse está no capítulo 2, versículo 31 do Livro de Joel (parte do Antigo Testamento): “O Sol se converterá em trevas, e a Lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor”.
Tags: