10 Superstição populares no Brasil

Confira a lista com algumas das superstições que todo brasileiro com certeza já ouviu pelo menos uma vez

Superstição é um tipo de crença popular que mesmo sem possuir fundamentação científica nem relação com explicações racionais, são passadas de geração em geração dentro da sociedade, passando a fazer parte de sua cultura popular e até mesmo de seu folclore. O Brasil é uma terra com uma mistura de povos e crenças, por isso, há inúmeras superstições que percorrem nossas populações. Com certeza você já ouviu várias delas, principalmente contadas por pessoas mais idosas, mas você conhece a origem destas crenças? Com o passar dos anos os motivos que levaram ao surgimento de cada uma delas acabam se perdendo, por isso, preparamos uma lista com 10 das superstições mais difundidas no Brasil, e qual a história por trás de cada uma.

10. Chinelo de cabeça para baixo 

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Existe uma teoria de que a superstição tenha surgido como uma maneira de evitar sujeira. Tudo começou nos anos 60, quando havia muitas casas que não tinham pisos no chão. O chinelo era muito usado para impedir que os pés ficassem sujos por causa do chão sem proteção. Contudo, deixar o chinelo virado para baixo sujava o calçado que, consequentemente, acarretava a mesma situação para os pés. Para evitar esse problema, criaram a história de que deixar o chinelo virado pode causar a morte da mãe para ensinar as crianças a maneira certa de guardar os calçados.

9. Passar em baixo da escada dá azar 

Reza a lenda que, se você passa por baixo de uma escada, você adquire muitos anos de azar. A superstição vem do Egito Antigo onde acreditava-se que essa atitude era uma afronta aos deuses, e que portanto resultaria em severos castigos.

8. Abrir guarda-chuva dentro de casa dá azar 

Na época dos faraós apenas a realeza usava guarda-chuvas e sombrinhas para se proteger dos raios solares. Devido à adoração que os egípcios antigos tinham para com o sol, e também por acreditarem que os faraós eram semideuses, as pessoas da época começaram a pensar que os guarda-chuvas eram um meio de ligação entre os faraós e o deus sol. Devido a essa conexão com os deuses, e porque também seu formato parecer com o disco solar, abri-lo num lugar sombreado, fora dos domínios do sol, era considerado uma ofensa aos deuses, e por isso, atraía o azar.

7. Quebrar o espelho traz 7 anos de azar 

Na Antiguidade, havia uma prática que era muito utilizada para adivinhação, conhecida por Catoptromancia. Nesse método de adivinhação são utilizados espelhos e, por isso, quando um quebrava era sinal que infortúnios estavam próximos. Como nada dura para sempre, os romanos acreditavam que após sete anos essa onda de infortúnios acabaria por completo.

6. Comer aves no réveillon traz má sorte

Dizem que, se você comer aves na ceia da virada de ano, você está indo contra a maré e pode não ter um ano muito promissor, isso porque as aves ciscam para trás criando a simbologia de uma ano cheio de regressos.

5. Bater na madeira 3 vezes 

A versão original consistia em bater em um tronco de uma árvore e sua origem mais provável pode estar no fato de os raios caírem frequentemente sobre as árvores. Os povos antigos – desde os egípcios até os índios do continente americano – teriam interpretado esse fato como sinal de que tais plantas seriam as moradas terrestres dos deuses. Assim, toda vez que se sentiam culpados por alguma coisa, batiam no tronco com os nós dos dedos para chamar as divindades e pedir perdão.

4. Dá azar ver a noiva antes do casamento 

Acredita-se que essa superstição tem a ver com o período em que a grande maioria dos casamentos não eram por amor, mas sim por acordos comerciais entre as famílias. Como o casal só se conhecia após o casamento, a família da noiva a escondia para evitar a terrível situação de o noivo ver a companheira antes do matrimônio, não gostar dela e desistir – prejudicando assim todos os acordos comerciais.

3. Jogar um pouco de sal sobre o ombro esquerdo traz boa sorte

A superstição de jogar sal sobre o ombro tem origem na cultura turca. O povo acreditava que as situações negativas eram causadas por um ser que mora no nosso ombro, especificamente no esquerdo. Jogar um pouco de sal sobre o ombro, seria uma forma de cegar esse ser para que coisas ruins não ocorram mais.

2. Orelha queimando ou vermelha é sinal de que há alguém falando mal de você

Relacionar a orelha vermelha com a maldade de alguém começou na Idade Média, por meio de um mito. Na época, sentir as orelhas queimando era um sinal que não apenas alguém estava falando algo ruim sobre você, mas que seu corpo estava sendo afetado por um feitiço.

1. Vassoura atrás da porta para espantar visitas indesejadas 

Alguns acreditam que este mito vem do povo europeu: para afastar Silvanus – um deus que assombrava as casas dos moradores dos campos -, três objetos deveriam ser colocados em lugares visíveis. Os objetos eram um machado, uma mão de pilão e uma vassoura, representando três deuses rurais que iriam socorrer a família ameaçada. Também diz a lenda que a vassoura atrás da porta espanta as bruxas.

 

Tags: