Jornal Diário do Estado

5 celebridades que se assumiram LGBTQIA+ em 2022

Não é difícil achar artistas que lutam pelos direitos LGBTQIA+, o que gera, frequentemente, diversas críticas e debates

Mesmo sendo uma realidade hoje em dia, a comunidade LGBTQIA+ ainda é considerada um tabu dentro da sociedade, especialmente no mundo dos famosos. Por isso, não é difícil achar artistas que lutam pelos direitos LGBTQIA+, o que gera, frequentemente, diversas críticas e debates.

Em 2022, diversos famosos assumiram sentir atração por gêneros iguais ou diversos. Pensando nisso, o Diário do Estado (DE) fez uma lista especial relembrando os artistas que se assumiram neste ano. Confira:

1 – Fernanda Souza

A atriz e apresentadora Fernanda Souza assumiu o namoro com a amiga de infância, Eduarda Porto, no final de abril através do Instagram. ”Somos muito gratas por termos nos encontrado nesse caminho lindo que se revelou pra nós.”, escreveu a atriz. Esse é o primeiro relacionamento público dela após a separação com o cantor Thiaguinho, em 2019.

2- Deborah Secco

Atriz pegou todos de surpresa ao se declarar bissexual durante uma entrevista ao jornal Extra em setembro. Deborah comentou que já se envolveu com outras mulheres e que é ”livre”. Atualmente, ela é casada com o diretor Hugo Moura.

3 – Lucy Alves

Protagonista de Travessia, Lucy Alves assumiu ser bissexual após ser flagrada aos beijos com a produtora Victoria Zanetti. Em entrevista, a atriz diz que está ‘amando quem quiser, saindo com quem quiser’. Esse é o primeiro namoro público de Lucy.

4 – Rycharlyson

Ex-jogador de futebol, Rycharlyson revelou pela primeira vez que é bissexual durante o podcast ‘Nos Armários dos Vestiários’. O comentarista da Globo admitiu que já namorou tanto com mulheres quanto homens. Ele se tornou o primeiro jogador da Série A do Campeonato Brasil e na Seleção Brasileira a falar abertamente sobre o tema.

5 – Vitão

À revista GQ, o cantor revelou que sempre se viu como homem hetéro, mas que agora tem se entendido ‘de outras formas’ e se relacionado com ‘pessoas diferentes’. Ele não assumiu a sexualidade que se identifica, mas diz que busca ”o fim para os rótulos”. ”Talvez a gente só goste de se encostar mesmo, de se amar, independente de gênero, roupa, de qualquer coisa, de órgão sexual”, disse.