Aluno especial ameaça fazer massacre em escola de ‘elite’, em Anápolis

Estudante teria dito a colegas que os mataria com 'arma ou faca' durante atividade. Direção da escola diz situação foi um boato que surgiu no grupo de pais da unidade

Atualizada às 12h05

Pais de alunos do 5º ano da Escola Gente Miúda Crescer, em Anápolis, ficaram preocupados após um aluno especial ameaçar matar um colega de classe. Por meio de mensagens trocadas via WhatsApp, os responsáveis pela criança debateram o assunto.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Nas mensagens, a mãe de um dos estudantes conta que o suposto menino prometeu matar os colegas que ele não gosta ‘com arma ou faca’ em um evento da instituição, previsto para acontecer na sexta-feira, 24. A ameaça teria sido feita como resultado dos problemas de relacionamento entre as criança, depois que alguns deles foram até a coordenação por causa de uma briga.

LEIA TAMBÉM

• Cabelo, planta e itens para festa: veja furtos inusitados dentro e fora de Goiás• Tráfico de drogas e armas corre solto nas plataformas digitais• Anápolis: Homem é executado a tiros na frente da esposa e de do filho

Num dado momento, a mãe do garoto aparece e conta que o filho é autista, e se mostra surpresa com os relatos dos outros pais. Além de pedir desculpas, ela afirma que não sabia da situação e diz que irá retirar o filho da unidade.

A mulher também revelou que o filho reclama do desprezo e de bullying que sofre por parte dos colegas de sala. No entanto, a mãe de outro estudante relata que o garoto é agressivo em sala e já teria agredido alguns colegas.

O Diário do Estado entrou em contato com a Escola Gente Miúda Crescer para comentar sobre o episódio. Segundo a direção, tudo não passou de um mal-entendido, uma espécie de ‘boato’ que surgiu em um grupo de pais. Disse ainda, que o aluno não é violento, diferentemente do que chegou a ser veiculado pela imprensa.

Confira a nota:

 

Tags: