Anápolis: mulher que morreu após cirurgia nos glúteos estava com Covid

São apontadas como causa da morte a Covid-19 e infecções decorrentes de um procedimento estético realizado em clínica clandestina

A mulher que morreu por complicações decorrentes de um procedimento estético para aumentar os glúteos em Anápolis, no último sábado (1), também estava com covid-19. É o que diz a certidão de óbito de Ronilza Johnson, que tinha 45 anos. O procedimento aconteceu em uma clínica clandestina e está sob investigação da Polícia Civil.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Em nota, o Hospital de Urgências de Anápolis Dr. Henrique Santillo (Huana) informou que Ronilza testou positivo no dia 20 de abril. “A paciente deu entrada na unidade no dia 27/03/2021, com relato de procedimento estético nos glúteos. Passou pelo pronto-socorro, centro cirúrgico, enfermaria e UTI. No dia 20/04, apresentou queda de saturação e a tomografia sugestiva para Covid-19, testando positivo após realização de exame, sendo encaminhada para ala de isolamento Covid”.

Na certidão, são apontadas as causas da morte como Covid-19, choque séptico, fasciíite necrosante e intervenções de razões estéticas. Quando Ronilza foi internada devido às complicações causadas pela cirurgia, ela denunciou os responsáveis à Polícia Civil, que começou a investigar o caso. Os policiais descobriram que a clínica não tinha alvará de funcionamento e operava de forma ilegal.

Tags: