Dengue: Aparecida de Goiânia tem primeiro caso de cepa que não existia no Brasil

Linhagem se espalha mais rapidamente e é a mais presente em todo o mundo, segundo pesquisadores da Fiocruz

Aparecida de Goiânia é a primeira cidade brasileira a registrar um caso do genótipo cosmopolita do sorotipo 2 do vírus da dengue, o mais disseminado no mundo todo. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgou a informação nesta quinta-feira (5) e alertou as secretarias municipais e estaduais de Saúde, além do Ministério da Saúde.

Esta linhagem que foi encontrada em Aparecida é presente na Ásia, Pacífico, Oriente Médio e África e, apesar de ser a mais presente no mundo todo, ainda não tinha sido vista no Brasil. O caso de Goiás foi registrado em fevereiro, quando a Fiocruz e o Laboratório Central de Saúde Pública de Goiás (Lacen-GO) analisaram a amostra de um paciente que havia adoecido no fim de novembro do ano passado.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

O genótipo cosmopolita do sorotipo 2 do vírus da dengue também não é comum nas Américas. Além deste caso no Brasil, apenas o Peru havia tido registro dele, na cidade de Madre de Dios, durante um surto da doença em 2019, segundo a Fiocruz.

LEIA TAMBÉM

• Goiás confirma primeiro caso de varíola dos macacos em crianças• Nepotismo: MP recomenda exoneração de nove comissionados, em Luziânia • Em surto psicótico, mulher mata avó e depois coloca fogo no corpo, em Pontalina

Cepa inédita da dengue no Brasil

O vírus da dengue se divide em quatro sorotipos, chamados de 1,2,3 e 4. À medida que o vírus vai mudando geneticamente, cada um destes sorotipos passa a ter diferentes genótipos (ou linhagens). O genótipo cosmopolita, encontrado em Aparecida, é uma das seis linhagens que o sorotipo 2 tem.

De acordo com a Fiocruz, a chegada da cepa ao Brasil preocupa, pelo risco de ela se espalhar mais rapidamente do que a linhagem asiático-americana (genótipo 3 do sorotipo 2), que é presente no Brasil atualmente. Quando se analisa a dengue no mundo todo, a linhagem encontrada em Aparecida provoca mais casos que a asiático-americana. No entanto, ainda não se sabe como ela se comportará no Brasil, segundo a Fundação.

Nova cepa não explica surto da doença em Goiás

Segundo o Ministério da Saúde, a média de casos da doença em Goiás é cinco vezes maior que a do Brasil. A cada 100 mil goianos, 1,3 mil tiveram dengue. Entre os brasileiros, a taxa é de 254 casos a cada 100 mil pessoas.

De acordo com os pesquisadores da Fiocruz, a relação entre o aumento de casos da dengue em Goiás e a cepa identificada em Aparecida está descartada até o momento. Isto porque, nas análises feitas em fevereiro, 60 casos foram observados. Destes, metade era do sorotipo 1 e a outra metade do sorotipo 2. Dentro deste segundo grupo, apenas um era do genótipo cosmopolita. Todas as outras pertenciam à linhagem asiático-americano.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO) disser que “informações de países que já identificaram essa linhagem em seus territórios registraram casos mais graves de dengue, com potencialização dos sintomas já conhecidos”. O Diário do Estado questionou se haverá, agora, protocolos específicos. A pasta informou na nota que ” reforça a necessidade das medidas de prevenção para o combate ao mosquito Aedes aegypti, como a eliminação de água parada e limpeza de casas e quintais”.

O Diário do Estado também solicitou posicionamento da Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia e aguarda retorno.

Tags: