Após nove anos, morte do radialista Valério Luiz segue impune

O julgamento dos cinco acusados passou por diversas barreiras desde a data do crime e foi adiado ainda mais por conta da pandemia.

Nove anos após a morte de Valério Luiz, o julgamento dos cinco acusados de envolvimento no crime ainda segue sem data prevista. O júri chegou a ser marcado para junho do ano passado, mas, segundo o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), foi adiado por causa da pandemia. Após as diversas barreiras para o parecer, o filho do radialista relatou a “frustração”.

“Por causa da pandemia, a demora não acontece por culpa do tribunal, mas o fato de demorar tanto tempo nos expõe a isso. O julgamento chegou a ser adiado, por outras razões, desnecessariamente. Por um lado, fica a frustração, pois nós queremos que o júri aconteça o quanto antes”, disse Valério Luiz Filho.

Segundo levantamento do G1, a data para o julgamento dos acusados já enfrentou várias barreiras. Em abril de 2019, o juiz Jesseir Coelho de Alcântara citou que não tinha como marcar a junta devido à falta de estrutura do tribunal.

Em outubro do mesmo ano, o juiz desmembrou o julgamento em três sessões, alegando ainda a falta de estrutura para que os cinco fossem julgados juntos.

Em dezembro, Jesseir Coelho pediu afastamento da presidência da comissão alegando motivos pessoais e que era “suspeito de continuar atuando para a concretização do júri popular, batendo contra todo o sistema processual”

O caso foi transferido para o juiz Lourival Machado da Costa, que, em fevereiro deste ano, marcou o julgamento dos cinco réus na mesma sessão, em junho. Porém, devido à pandemia, o julgamento foi novamente adiado e segue sem data.

A Polícia Civil concluiu, em fevereiro de 2013, que cinco pessoas participaram do crime. O inquérito possui mais de 500 páginas e mais um volume com provas técnicas contra os suspeitos.

O Ministério Público denunciou Maurício Sampaio como mandante do crime. O documento destacava que os comentários feitos por Valério Luiz geraram entre Sampaio e o radialista “acirrada animosidade e ressentimento” por parte do acusado.

Tags: