Bernardinho irá comandar a França após Jogos Olímpicos em Tóquio

O reconhecido técnico brasileiro irá comandar a seleção francesa que tem grande chance de ganhar o ouro em Tóquio-2020

Bernardo Rezende assume a liderança da seleção masculina de vôlei como técnico escolhido para comandar a equipe nas Olimpíadas de Paris-2024. O brasileiro vai ocupar o lugar de Laurent Tillie, que esteve à frente dos franceses nesta Olimpíadas já sabendo que seria substituído. Mas nem por isso ele fez corpo-mole e levou a seleção até a final contra a Rússia neste sábado (7) com grandes chances de entregar a seleção com medalha de ouro para o brasileiro assumir.

Conhecido como Bernadinho, o técnico jogou em Moscou-1980, chegando à prata em Los Angeles-1984. No comando da seleção brasileira, ele conquistou dois bronzes com a feminina, em Atlanta-1996 e Sydney-2000, chegando ao título em Atenas-2004 e Rio-2016. O técnico assume o posto já em setembro desde ano.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Agora na França, o técnico terá ajuda de dois ex-auxiliares técnicos com muita vivência no país. Um deles é Marcelo Fronclowiak, que deixou o Dinamo Krasnodar, da Polônia, pelo Tours VB, mas antes mas antes esteve no Tourcoing LM (entre 2004-2009). Quem acertou com o Tourcoing LM foi Maurício Paes, que voltou de quatro anos no Panasonic Panthers do Japão (depois de oito títulos do Campeonato Francês, onde havia atuado também como jogador). E quem completa a ciranda, indo para o Panthers de Osaka, é Laurent Tillie.

LEIA TAMBÉM

• Time goiano do Neurologia Ativa fatura tricampeonato brasileiro master• Com rebaixamentos em pauta, confira as situações de Goiás e Vila Nova no vôlei• Dois meses depois, Goiás volta a vencer na Superliga de Vôlei Masculino

Técnicos brasileiros pelo mundo

São milhares de técnicos brasileiros espalhados pelo Exterior. Neste ano, por exemplo, o Brasil se encontrou com o técnico Luizomar de Moura, que coordena a seleção feminina do Quênia. Mesmo com Mesmo com condições precárias de treinamento, bancadas pela Federação Internacional de Voleibol (FIVB), foram três meses de trabalho conjunto com sua comissão técnica do time de Osasco.

Tags: