Jornal Diário do Estado

Black Friday: comércio em Goiás deve vender 10% a mais em relação ao ano passado

Celulares, eletrodomésticos e eletrônicos lideram intenção de compra na super sexta-feira de descontos. Média de gastos deve ser entre R$ 1 mil e R$ 3 mil 

A recuperação econômica deve ganhar um novo fôlego na Black Friday deste ano. As vendas devem subir até 10% e dar um fôlego aos empresários após dois anos e meio de pandemia. A expectativa da Fecomércio é que o evento ajude o setor a recuperar as contas devido ao perfil de compras feitas pelos consumidores.

“É importante para o comércio, especialmente para venda de produtos e bens duráveis já que no natal acaba prevalecendo a tendência a lembracinhas. Na Black Friday sobressaem as vendas de eletrodomésticos e produtos dessa natureza”, diz Bruno Ribeiro, consultor da Fecomércio.

O aumento das vendas deve ser puxado pela melhoria de indicadores econômicos. O endividamento das famílias goianas está muito abaixo da média nacional, o que possibilita mais compras nessa ocasião. De acordo com Ribeiro, a confiança do empresariado nos lucros acarreta renovação de estoque e geração de empregos. 

Para o consultor, o cenário atual pode ser explicado pela analogia a um transatlântico. “Ao sair do porto, ele demora a ganhar velocidade e quando vai atracar, é necessário desacelerar bem antes”, ressalta. O aumento do emprego formal em todo o País, facilidade de crédito e o fim do pico da covid servem de fundamento para o setor acreditar em uma Black Friday e Natal lucrativos.

De acordo com uma pesquisa de intenção de compra da  Conversion, uma agência especializada em otimização de buscas virtuais, celulares, eletrodomésticos e eletrônicos lideram intenção de compra na super sexta-feira de descontos. Um terço dos entrevistados acredita que desembolsará entre R$ 1 mil e R$ 3 mil na edição deste ano.

A movimentação em torno das duas datas já começou. As vitrines de lojas já estão estampadas com adesivos informando preços diferenciados em produtos e serviços específicos para  a data. Em algumas lojas de decoração, itens natalinos estão à venda desde setembro. A Black Friday será em 25 de novembro.

Por que Black Friday?

A tradução do termo é  “Sexta–feira Negra”. Não se sabe ao certo a origem, mas há algumas teorias. A primeira seria que a  expressão nasceu no final do século XIX após duas instituições financeiras falirem em uma sexta-feira. 

A segunda explicação seria a lembrança de vendas acima do esperado por lojistas da Filadélfia quando o trânsito ficou muito congestionado logo em seguida ao  feriado de Ação de Graças na década de 1960. No Brasil, a Black Friday chegou em 2011 com o portal Busca Descontos e se tornou presencial anos depois.