“Bolsonaro é fascista, e quem quer derrubar ele é neo-fascista

O ex-senador, Demóstenes Torres, analisa conjuntura política no Brasil e no estado

Demóstenes Torres é um jurista e político brasileiro. Foi senador de 2003 até 2012, atualmente é procurador de Justiça aposentado do Ministério Público do Estado de Goiás e advogado, em entrevista a nossa redação, ele analisou a atual política do Brasil e do estado de Goiás.

Sobre os vários comentários e pedidos de impeachment do presidente Bolsonaro, ele comenta: “se vivermos de impeachment em impeachment, o Brasil não vai chegar a lugar nenhum. O impeachment da Dilma foi golpe, mas os mandatos devem ser concluídos. Derrubar o Bolsonaro é um atraso, deixe que seu mandato acabe e enfrente-o nas urnas”.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Em relação ao ex-ministro Sérgio Moro, Demóstenes apontou: “o que o Moro fez, foi mostrar que era um grande juiz, um grande herói, mas com os áudios vazados, ouvimos os procuradores debochando dele. Inventaram uma situação para que o ex-presidente Lula não fosse candidato e o Moro foi o peão dessa perseguição. Houve conspiração”, afirma o ex-senador.

Demóstenes também discutiu atuação do atual governador de Goiás, Ronaldo Caiado e apontou questões sobre a impossibilidade de um golpe militar no Brasil. Assista a entrevista completa:

 

Tags: