Cabo da PM mata jovem negro após acusá-lo de roubo, em São Paulo

Testemunhas contaram que os dois estavam embriagados e o PM acusou o jovem de roubar seu celular, que foi encontrado dentro do carro

Um cabo da Polícia Militar de São Paulo foi preso em flagrante no último sábado (17) após matar um jovem negro de 20 anos. O militar estava de folga e acusou o jovem de furta seu celular, que foi encontrado em seu carro junto com documentos e boletos no nome da vítima.

Segundo boletim de ocorrência registrado no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoas (DHPP), os dois chegaram juntos a um bar localizado na Vila Medeiros, na Zona Norte de São Paulo.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

De acordo com testemunhas, os dois estavam bastante embriagados, compraram mais bebidas alcóolicas e foram beber em um fundo do bar, onde havia três máquinas de jogos de azar desligadas. Em certo momento, o policial sentiu falta do seu celular e começou a discutir com a vítima, afirmando que o jovem havia o furtado.

Testemunhas ainda relataram que em certo momento, foram ouvidos dois disparos de armas de fogo, efetuados pelo cabo com um revólver Taurus. Uma testemunha desarmou o policial, que estava bastante agitado.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado para prestar socorro a vítima, mas, de acordo com o boletim de ocorrência, a vítima chegou morta ao hospital.

Em depoimento, o PM afirmou que reagiu a uma tentativa de assalto. A prisão em flagrante do polícia por homicídio foi convertida pela Justiça em prisão preventiva, e o cabo permanece detido no Presídio Militar Romão Gomes, que abriga PMs acusado de crime.

O caso está sob investigação do DHPP, que pediu perícia no celular do policial.

Tags: