Caiado discorda de Bolsonaro e defende urna eletrônica

O governador de Goiás disse ainda que se houver interesse em alguma modificação que ocorra pelo menos 3 anos antes das eleições.

O governador Ronaldo Caiado (DEM) foi questionado, no fim da manhã desta quinta-feira (22), sobre o voto impresso, modelo que é defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, e se posicionou de forma contrária e defendeu a urna eletrônica.

Segundo a CBN, Caiado afirmou que sempre foi eleito pelo sistema atual e não tem nada contra as urnas eletrônicas. O governador até explicou que se houver interesse em fazer alguma modificação que ela ocorra pelo menos 3 anos antes das eleições.

“Não se pode mudar a mecânica assim e estamos próximos das eleições. Esse assunto já tem recebido a atenção de muitos com a necessidade de manutenção das urnas eletrônicas”, disse o governador.

A discussão do voto impresso foi puxada pelo presidente Jair Bolsonaro, que acusa o modelo atual de não ser confiável e alega ainda que houve fraudes na votação de 2018, a mesma em que ele se elegeu, mas não apresentou provas.

O presidente quer que, a partir da eleição de 2022, os números que cada eleitor digite na urna eletrônica sejam impressos e que os papéis sejam depositados de forma automática numa urna de acrílico. A ideia dele é que, em caso de acusação de fraude no sistema eletrônico, os votos em papel possam ser apurados manualmente.

Tags: