Jornal Diário do Estado

Caiado entrega casas a custo zero em Abadia de Goiás

Com investimento de quase R$ 4,8 milhões, moradias fazem parte do Programa Pra Ter Onde Morar - Construção, do Governo de Goiás, por meio da Agehab e Seinfra

O sonho da casa própria tornou-se realidade para 42 famílias em Abadia de Goiás, na Região Metropolitana. Nesta sexta-feira ,24, o governador Ronaldo Caiado fez a entrega simbólica das casas a custo zero no Residencial Primavera Parque, como parte do Programa Pra Ter Onde Morar – Construção, do Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Habitação (Agehab) e da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra).

Caiado destacou a importância do programa, ressaltando que as casas são entregues sem nenhum custo para as famílias. “Não tem que pagar nada, vai com a escritura e tudo. Nada mais gratificante do que, além dos programas sociais, dos investimentos em educação, saúde e segurança pública, entregar uma casa com qualidade e padrão de excelência”, celebrou. “Chegando próximo ao mês de dezembro, esse espírito natalino vem para a gente dar a essas pessoas um melhor momento de vida, um grande presente de Natal”.

O governador frisou que Abadia de Goiás experimenta crescimento exponencial e que é importante observar e atender novas demandas. “O prefeito estava me dizendo que são mais de 17 mil pessoas aqui. A visão nossa é atender as cidades do interior e as pessoas que não têm condições de quitar parcelas. Estamos mandando para a Assembleia o projeto da faixa zero, desafiando a Caixa Econômica para ela entrar com a mesma parceria que o governo do Estado e ampliar esse projeto”.

Presidente da Agehab, Alexandre Baldy reiterou que Caiado tem respaldado a agência, permitindo a Abadia de Goiás e o Estado serem referência neste programa que revolucionou o segmento de moradias de cunho social. “É levar a chave da casa a quem realmente precisa. Para que a gente realize sonhos, transforme a vida das pessoas. Hoje 42 famílias têm alegria, têm o seu sonho realizado com o nosso trabalho.”

Boa hora

“Chegou em boa hora”, disse, aliviada, Gleiciely Alves da Silva Menezes. A jovem de 25 anos ficou repentinamente desempregada, assim como o marido, Marcelo da Silva Menezes Alves, 30 anos. Ela gastava R$ 400 com aluguel. “O que nós estávamos passando só Deus para explicar. O dono não quer saber porque você vai atrasar. E para quem tem filho pequeno, não é fácil”, relatou, segurando no colo Heitor Henrique, 11 meses. Com eles estava ainda a sobrinha Pietra, 2 anos. “Só gratidão”.

Durante a solenidade, Marinalva Oliveira dos Santos, 47 anos, solteira e mãe de dois filhos, e Islaine Alves Gomes, 27 anos e mãe de três filhos, receberam simbolicamente as chaves das mãos do governador.

Investimento

Com R$ 4,8 milhões proveniente do Fundo de Proteção Social (Protege), as moradias, que custam cerca de R$ 127 mil cada, são parte do maior programa habitacional do Brasil voltado para pequenas cidades. “Pode somar os 20 anos de investimento de governos anteriores ao governador Ronaldo Caiado que não dá o valor dessas casas entregues no dia de hoje. O governo voltou a estar presente na cidade de Abadia”, observou o vice-governador Daniel Vilela.

“Cumprimento todas as mulheres que estão recebendo a sua casa hoje e que vão passar o Natal graças esse homem aqui, que mais construiu no Brasil casas a custo zero”, frisou o prefeito Wander Saraiva, que fez questão de reconhecer: “não é só casa que o governador trouxe pra cá, mas todos os programas sociais. Esse governador é parceiro da nossa cidade e tenho certeza que ele está ajudando os 246 municípios”.

O Programa Pra Ter Onde Morar – Construção já abrange mais de 130 municípios, totalizando 6 mil moradias contratadas e em diversas etapas de construção. Para concorrer a uma unidade habitacional, as famílias precisam comprovar renda familiar de até um salário mínimo e residir na cidade por, no mínimo, três anos. “Pensando nos 246 municípios, não importa a localização geográfica. Onde estiver um goiano, lá vai estar o Governo de Goiás, com todas as suas políticas públicas”, assegurou o secretário da Infraestrutura, Pedro Sales.