Jornal Diário do Estado

Caso Daniel Alves: defesa do jogador pede suspensão da audiência 

Julgamento de atleta começou nesta segunda-feira, 5

Iniciou nesta segunda-feira, 5, no Tribunal Superior de Justiça da Catalunha, o julgamento de Daniel Alves, acusado de estupro envolvendo uma jovem espanhola de 23 anos. No início da defesa do jogador, a advogada Inés Gaurdiola solicitou a suspensão da audiência, alegando nulidade no processo de investigação.

A advogada de Daniel Alves argumenta que os 15 dias de investigação, realizados sem o conhecimento do jogador, prejudicaram seu direito de defesa. Além disso, a defesa do jogador requereu a suspensão do julgamento devido à negação de um pedido para realizar um segundo exame na vítima, solicitado por um perito.

Caso Daniel Alves

O meio-campista brasileiro está preso desde 20 de janeiro de 2023. Daniel é acusado de estuprar uma jovem de 23 anos em uma boate de luxo chamada Sutton, localizada em Barcelona, na Espanha.

Para a polícia, a vítima contou que Daniel Alves estava acompanhado de amigos na boate. O jogador abordou a jovem enquanto ela dançava com amigos. Ele teria se apresentado como “Dani” e dito que “jogava petanca no Hospitalet, município da Espanha”. No entanto, amigos da vítima reconheceram o brasileiro, que já jogou no time do Barcelona.

O jogador, então, teria se aproximado dos amigos da vítima, os tocado e, em seguida, se posicionado atrás da jovem. Ele teria, então, agarrado a mão dela com força e levado em direção ao seu órgão genital, repetindo isso por mais duas vezes mesmo com resistência da jovem.

O brasileiro levou a jovem até um banheiro e a impediu de sair. Daniel teria sentado em um vaso sanitário e pedido para que a jovem se sentasse sobre ele, a obrigado depois que fizesse sexo oral nele. A jovem acabou resistindo e, neste momento, o jogador bateu em seu rosto e a colocou no chão para forçar uma relação sexual.

Após isso, o atleta informou para a vítima que saíra do banheiro e que ela deveria sair depois dele. O lateral teria voltado para a festa, mas quando a vítima relatou o crime para os seguranças, ele já teria ido embora.

A vítima foi até o Hospital Clinic. Um médico legista constatou lesões compatíveis com luta como, por exemplo, escoriações no joelho. Além disso, o exame encontrou restos de líquido seminal. Médicos compararam as amostras com amostras de DNA cedidas pelo jogador.