Caso João de Deus: PC encerra força-tarefa e envia mais sete inquéritos à Justiça

Em coletiva à imprensa na Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC) na manhã desta quinta-feira (10), a delegada Karla Fernandes informou que a Policia Civil de Goiás concluiu os inquéritos no caso “João de Deus”.

De acordo com a delegada, a PC ouviu 15 mulheres para comprovar o padrão utilizado pelo médium. Oito inquéritos foram realizados ao todo pela DEIC, dois por posse ilegal de arma (sendo um para cada residência em que foram encontradas as armas de fogo) e seis por posse sexual mediante fraude.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Deste total, apenas um inquérito já está no Judiciário (que culminou na prisão do médium no último dia 16 de dezembro), os outros sete inquéritos serão encaminhados à Justiça de Goiás hoje.

LEIA TAMBÉM

• Novas vagas de emprego estão disponíveis em Goiânia e Aparecida• Vídeo: Cadela é resgatada após ficar 10 dias sem comida e água, em Goiânia• Preso homem que roubou carro e torturou vítima durante três dias, em Goiânia

Karla Fernandes informou ainda que, Ana Keyla Teixeira Lourenço, mulher de João de Deus, também foi indiciada pela Polícia Civil por posse ilegal de armas junto com o marido. Segundo a delegada, a esposa do médium residia no mesmo local que ele e durante as diligências foi encontrada uma arma de fogo na gaveta de peças intimas de Ana Keyla.

De acordo com Karla, “se ela tivesse informado à Polícia que tinha conhecimento das armas e que elas eram dele, ele seria o único indiciado, mas não tem como uma pessoa morar na mesma casa e não ter conhecimento se o objeto está em sua gaveta de peças íntimas.”

Dos sete inquéritos encaminhados hoje, em três foi solicitado pela Polícia Civil, o arquivamento das denuncias por dois diferentes fatores: decadência e prescrição dos crimes.

Ela também anunciou o fim da força-tarefa da corporação criada para investigar as denúncias contra o religioso.

Tags: