Jornal Diário do Estado

Cavalhadas voltam a ser realizadas na Cidade de Goiás após 70 anos

O evento acontece em 12 municípios goianos e une tradição e fé. Programação acontece nos dias 11 e 12 de outubro

Após 70 anos suspensas, as Cavalhadas retornam à Cidade de Goiás nesta terça-feira, 11. As encenações das batalhas entre mouros e cristãos serão realizadas nos dias 11 e 12, no Estádio Hélio de Loyola, e fazem parte de uma programação com missas, cavalgadas, e show de Ryan Barreto. O retorno recebeu apoio do Governo de Goiás, por meio das Secretarias de Cultura (Secult) e da Retomada. 

‘’A participação desse município histórico, que é o berço da cultura goiana, mostra que estamos cumprindo a determinação do governador Ronaldo Caiado de valorizar as nossas tradições e interiorizar a cultura”, destacou o secretário de Cultura Marcelo Carneiro. 

O município é o décimo segundo a receber o circuito das Cavalhadas 2022, iniciado em junho. Foram destinados R$ 200 mil para a preparação dos festejos, além de R$ 3,1 milhões de recursos estaduais para o financiamento das festas. A verba foi utilizada na aquisição de vestuários para os cavaleiros, acessórios dos festejos, decoração, entre outros itens. 

Além da Cidade de Goiás, outros onze municípios recebem a apresentação. São eles:Corumbá, Jaraguá, Palmeiras de Goiás, São Francisco, Crixás, Santa Cruz de Goiás, Santa Terezinha, Hidrolina, Pilar de Goiás, Pirenópolis e Posse.

Confira a programação:

  • 11 de outubro

17h30 – Carreata com os Reis das Cavalhadas (saída do Estádio Hélios de Loyola).

19h – Treino no Campo (Estádio Hélios de Loyola).

20h30 – DJ  Kavanhaki (Estádio Hélios de Loyola).

22h – Show com Rayan Barreto (Estádio Hélios de Loyola).

  • 12 de outubro

7h – Missa em Areias (Santuário Diocesano de Nossa Senhora Aparecida).

10h – Cavalgada da Praça do João Francisco até o Estádio Hélios de Loyola.

10h30 – Cavalhadas (Estádio Hélios de Loyola).

Batalhas 

As Cavalhadas é uma festa religiosa e folclórica inspirada nas heranças culturais de Portugal e da Espanha na Idade Média. Elas começaram a ser representadas no Brasil no século XVI, tendo seu primeiro registro em Goiás em 1751 na cidade de Santa Luzia (hoje Luziânia). 

O cenário consiste na representação das batalhas entre cristãos e mouros na Península Ibérica ocorridas entre os séculos IV e XV. Dois exércitos, com 12 cavaleiros de cada lado, encenam uma luta coreografada e repleta de ornamentos. Na festa também há a presença de mascarados, personagens que representam o povo e saem às ruas, a pé ou a cavalo, promovendo algazarras.