Jornal Diário do Estado

// Poder

Adriana Accorsi aposta em Lula e ministros para ganhar. Parece ser pouco

Em

Fiel ao seu partido, o PT, a deputada federal Adriana Accorsi repete a cada dia que espera contar com o apoio decisivo do presidente Lula – e dos seus ministros – para vencer em Goiânia em 2024. Parece uma boa aposta. Um chefe da nação e seus poderosos auxiliares, em princípio, têm tudo para influenciar o eleitorado, em qualquer parte do país.

Oooops… não é bem assim. Lula, em 2022, levou uma tunda de Jair Bolsonaro em Goiânia. De resto, só venceu uma eleição em Goiás, das inúmeras que disputou. É reconhecido que o Estado é conservador e que o sentimento antipetista é forte entre as goianas e os goianos e… é verdade. Há muito mais simpatia por Jair Bolsonaro em Goiás do que pelo presidente.

No final das contas, Lula pode mais atrapalhar do que ajudar Adriana Accorsi. O petista tem a fama de não gostar de Goiás exatamente porque nunca se deu bem aqui. Perdeu todas (como dito, com uma única exceção). Há 15 anos ou mais que não dá as caras para as goianas e os goianos. A própria Adriana não o vê de perto há mais de uma década. Se precisar de uma foto, terá que recorrer ao arquivo morto. Se a eleição em Goiânia depender de um padrinho, Bolsonaro tem uma pinta mais promissora.

Mesmo assim, cumprindo o mantra do petismo, a candidata coloca o seu nome para disputar na capital abaixo da projeção do chefe supremo da seita. Ainda assim, a direção nacional do PT anuncia em alto e bom som que apoiar Adriana Accorsi e ajudar na sua eleição é uma prioridade. Resta saber se isso será produtivo. Se for, poderá até definir a vitória da candidata. Se não for, mais uma derrota assegurada.

Tags: