// Poder

Cruzada evangélica: senador Luiz do Carmo desafia família a mostrar documento do Aeroporto de Goiânia

Em

Na manhã de ontem (25) o jornal Diário do Estado (DE) veiculou uma matéria sobre a reação negativa da comunidade católica pela proposta de alteração do nome do Aeroporto de Goiânia Santa Genoveva para Aeroporto de Goiânia Iris Rezende. O autor do projeto, senador Luiz Carlos do Carmo (MDB-GO) se pronunciou sobre o assunto justificando que não sabia das condições legais de batismo do nome do local que o doador, Altamiro de Moura Pacheco, estabeleceu e que espera a família entrar em contato com ele apresentando comprovação legal.

Conforme apurado pelo DE, o projeto do senador Luiz do Carmo apresentava alguns erros, como o próprio nome de Iris Rezende, por não ter um acento agudo na letra “i” inicial e pela história do político, apresentada sob a justificativa de quatro páginas apenas.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Projeto pode ter cunho religioso

Também foi levantado o ponto de que o autor da proposta, Luiz do Carmo e o relator do projeto, senador Vanderlan Cardoso (PSD) tivessem encontrado, na possibilidade de homenagem a Iris Rezende, uma forma de “apagar” um nome ligado ao catolicismo em Goiânia, já que ambos são da religião protestante evangélica.

Inclusive, o senador Luiz do Carmo é irmão do bispo Oides José do Carmo, o líder da Assembleia em Goiânia desde o início dos anos 2000 e presidente da Convenção Estadual dos Ministros Evangélicos das Assembleias de Deus de Goiás.

Luiz Carmo reagiu ao assunto e disse, em nota, que a homenagem “surgiu com o único intuito de homenagear a maior figura política do estado Goiás, com o qual tivemos o privilégio de conviver e beneficiar dos resultados de seu empenho e dedicação”, afirmou. O político não comentou sobre o apagamento do nome de Santa Genoveva, importante figura da Igreja Católica na qual os devotos fazem oração por busca de milagres.

Senador diz que nenhum obstáculo foi encontrado para impedir mudança de nome do Aeroporto

O senador Luiz do Carmo disse ainda que antes de apresentar a proposta no Senado Federal, ele e toda a equipe jurídica fizeram um “minucioso levantamento a fim de identificar quaisquer obstáculos que pudessem vir a impedir tal homenagem. Nada foi encontrado”, entretanto, no próprio site da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) em que relata o histórico do Aeroporto Santa Genoveva, existe um espaço reservado para “curiosidade” do nome.

No site, consta a seguinte informação, disponível para qualquer público “A origem do nome Santa Genoveva – que é também o nome do bairro onde está localizado o aeroporto – vem da homenagem que um dos doadores do terreno, o médico, farmacêutico, escritor e empresário Altamiro de Moura Pacheco prestou a sua mãe, Dona Maria Genoveva de Moura Pacheco, que levava o mesmo nome da santa”. Entretanto, a equipe do senador Luiz do Carmo afirma não ter encontrado nenhum obstáculo que pudesse impedir a mudança de um nome que foi dado em homenagem à mãe do doador de toda a área.

Família diz que o senador “não tem conhecimento da verdadeira história do Aeroporto”

O senador Luiz do Carmo se diz surpreso com o questionamento da família de Altamiro de Moura Pacheco pela mudança dos nomes. Em nota, a família afirma que ficou “perplexa e preocupada” com a notícia e que não acha justo “desomenagear” um homem da importância de Dr. Altamiro para homenagear Iris Rezende, apesar de acreditarem que vale uma homenagem ao mdbista em outro local.

A família afirma que na época da doação das terras, o Dr. Altamiro impôs duas condições para os terrenos “a área somente poderia ser destinada a atividade aeroportuária e que o novo aeroporto se chamasse Aeroporto Santa Genoveva. Essa exigência do nome era para que ele pudesse homenagear sua querida mãe Dona Genoveva. As condições foram aceita, a área doada e o aeroporto construído”. A família ainda diz “Goiânia, uma cidade jovem, está desprezando sua história e a memória de quem ajudou a construí-la”.

Luiz do Carmo afirma que não foi procurado pela família do doador da área e espera manifestação dos Moura Pacheco. A família diz que o senador “não tem conhecimento da verdadeira história do Aeroporto Santa Genoveva” e faz um apelo para que seja respeitado a memória de Dr. Altamiro.

Senador aguarda documentação legal que comprove exigência de nome

Mesmo com a manifestação de inconformidade da família, o senador diz que solicitou a “apresentação do documento que comprovasse tal exigência”. Ele diz ainda que irá buscar uma solução, pois reconhece o legado do Dr. Altamiro e respeita as leis e normas jurídicas, mas que espera a apresentação do documento “aguardamos a apresentação dos documentos legais com tal cláusula onerosa no contrato de doação e, assim o sendo, respeitosamente buscaremos solução”, salienta.

Luiz do Carmo afirma ainda que “não se trata de desprezo pela história” mas do fato de querer “honrar o nome de um homem que dedicou a vida inteira ao povo goiano” e diz acreditar que se o Dr. Altamiro estivesse vivo, concordaria com a homenagem, indo em desencontro com o que a própria família do doador diz.

Além disso, na matéria do DE de ontem, o Pe. Rodrigo de Castro, da Paroquia Sagrada Família, afirmou que o próprio Iris Rezende não seria agradado com essa homenagem “Iris sempre levou muito a sério a história de Goiás, era algo que ele gostava de valorizar e ele contava a história do estado em todas as ocasiões […] Ele era cuidadoso com isso. Eu afirmo que isso não agradaria a ele”. O Pe. Rodrigo diz ainda que além da valorização da história, Iris também gostava do nome do aeroporto porque sua mãe se chamava Genoveva.

Outros projetos em Goiânia propõem a mudança de nomes de locais públicos para homenagear Iris Rezende, como o nome da Av. Anhanguera, o Bosque dos Buritis, o Paço Municipal e o documento já aprovado na Câmara de Goiânia, Parque Mutirama.