//

Cuidados com a saúde devem ser redobrados em dias quentes e de baixa umidade do ar

Em

Se você é daquelas pessoas que espera ter sede para beber água, saiba que está colocando sua saúde em risco. A sede é um indicativo de que o organismo já está ficando desidratado. “Beber água só quando se tem sede é como colocar água no radiador do automóvel quando o ponteiro de temperatura já está alcançando a faixa vermelha”, explica o urologista Manoel Rocha, em seu livro “Viver com Saúde – uma questão de escolha”, lançado em 2018 pela Gráfica e Editora América, de Goiânia.

O especialista lembra que nosso corpo é composto 70% de água e que deve haver um equilíbrio entre a quantidade de líquido que entra e o que é perdido diariamente. A perda de mais de 10% de água corporal já leva a sintomas importantes como dor de cabeça, náusea, constipação intestinal, fadiga e indisposição, aumento da pressão sanguínea e até confusão mental, principalmente em pessoas idosas.

“Dependendo do clima, da umidade do ar e de nossas atividades diárias, manter-se bem hidratado é ingerir uma média de 40 a 60 ml de água por quilo de peso por dia. Vale lembrar que o único líquido que realmente hidrata é água pura e de boa qualidade” assegura.

Baixa Umidade

De acordo com o Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (CIMEHGO), da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD), só na segunda metade de outubro que há previsão de chuva regular que seja capaz de diminuir a temperatura e aumentar a umidade do ar, que nesta segunda-feira, 20, pode chegar a 8%. Para esta terça-feira, a previsão é a de que os termômetros registrem em média 36 graus e a umidade não seja maior do que 12%.

Nesta situação, o recomendável é a manter a hidratação em dia, o uso de alimentos mais leves e de fácil digestão e evitar o exercício físico em horários mais quentes do dia. O recomendável é que eles sejam feitos no início da manhã ou de noite.

Situação deve melhorar um pouco com chegada da primavera – Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A nutricionista Cyntia Nery Ávlia Segato recomenda que, se a pessoa não tem o hábito de tomar água constantemente, que ela comece em garrafinhas de 500 ml, tomando duas pela manhã, três de tarde e duas de noite, de acordo com a necessidade de cada pessoa. “Comece devagar e aumente aos poucos. Água pura é o melhor detox que existe”, recomenda.

Ela costuma desafiar seus pacientes a ingerir a quantidade ideal de água por 21 dias para que o hábito se instale e se torne um estilo de vida. Para quem é indisciplinado com a hora da hidratação, a nutricionista lembra que existem alguns aplicativos de celular que ajudam a pessoa a lembrar que hora de tomar um copo de água. “No começo, precisará se esforçar, mas depois se tornará um hábito”.

Rosana Melo, especial para o Diário do Estado. 


Rosana Melo

Rosana Melo é jornalista, vencedora dos prêmios: Prêmio AMB de Jornalismo da Associação dos Magistrados Brasileiros - Regional Centro Oeste; 13º Prêmio Embratel Regional Centro Oeste; 2º Prêmio MP-GO de Jornalismo; Prêmio OAB-GO de Jornalismo - todos em primeiro lugar e menção honrosa como finalista em dois Prêmios Esso categoria Jornal Impresso.