// Poder

Para Daniel Vilela, Gustavo Mendanha está mais para “Youtuber” de Aparecida

Em
Entre convites de partidos, Gustavo Mendanha segue sem filiação mas já percorre todo o estado em sua pré-campanha

O presidente do MDB de Goiás, Daniel Vilela e vice de Ronaldo Caiado (DEM) para 2022, criticou a gestão do seu ex-aliado, Gustavo Mendanha, ao dizer que ele não conseguiu manter o nível de Maguito Vilela “As grandes obras e os grandes investimentos foram planejados e executados pela gestão do meu pai. Você não encontra uma obra estruturante desta gestão. Houve por parte do Gustavo, nos últimos meses e anos, uma dispersão da essência da gestão pública, que é trabalho e foco”, declarou o mdbista ao Giro, do O Popular.

Daniel Vilela, ainda acrescenta “A gestão do Gustavo é mais preocupada com likes e lives. Isso não se sustenta”. Vilela faz menção ao fato de Aparecida ter perdido posições no Ranking de Competitividade dos Municípios de 2021. Dos 13 indicadores, a cidade perdeu colocações em nome e apresentou crescimento somente nos que tiveram investimento dos governos estadual e federal. O município está em 209º lugar entre as 411 cidades brasileiras avaliadas, sete posições abaixo pelo levantamento do ano passado.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Mendanha como candidato de Bolsonaro

O presidente do Partido Liberal (PL) em Goiás, Flávio Canedo, em entrevista ao Diário do Estado, diz que torce pela filiação do prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, no partido e que o PL terá candidatos em todos os pleitos majoritários.

“Sou Mendanha, o PL é aliado de primeira hora dele. Somos o primeiro partido grande que declarou apoio a ele e a candidatura dele vem crescendo no estado, ele tem uma ótima receptividade. Vamos trabalhar para que ele e Bolsonaro sejam eleitos”, afirma Flávio. Apesar disso, Canedo diz que ainda não é a hora de decidir o “oito ou oitenta” do partido.

Sobre a meta do PL hoje, Flávio afirma que ainda é “muito cedo” para definições “estamos conversando com vários partidos. Agora é hora de trabalhar e de mostrar musculatura política”, ressalta. Apesar das incertezas de nomes, Flávio afirma que o partido terá candidatos ao Senado, ao governo de Goiás, à presidência da República e para deputados federais e estaduais.

Caso Mendanha se filie ao PL, ele é o candidato do bolsonarismo em Goiás, desbancando o Major Vitor Hugo (PSL) na corrida pela eleição em 2022.

Mendanha não recebeu convite só do PL

Gustavo Mendanha, para a oposição de Ronaldo Caiado (DEM) tem sido visto como a “galinha de ouro” de Goiás. Mendanha, que foi reeleito como o prefeito mais bem votado do Brasil, já recebeu convite de vários partidos, inclusive pela presidente do PSD de Aparecida de Goiânia, vereadora Camila Rosa.

No entanto, não há, no momento, pretensões de que o partido invista em um candidato para o governo, já que o empenho está na eleição das chapas de deputados federais e estaduais e na de Henrique Meirelles ao Senado, o qual, inclusive, cumpre agendas extensas na capital goiana.

Enquanto isso em Goiás

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) celebrou hoje (24) em suas redes sociais o fato do estado ter subido no Ranking da Qualidade da Informação Contábil e Fiscal, da Secretaria do Tesouro Nacional. Ao mesmo tempo em que Aparecida de Goiânia, despenca em outro ranking, na gestão de Gustavo Mendanha, principal adversário de Caiado no pleito de 2022, o governador diz “Quando uma gestão é séria e comprometida, os resultados aparecem”.

Enfim casados, opa, filiados

Sobre a filiação de Bolsonaro ao PL, Flávio Canedo afirma que está garantida “a filiação não azedou, está nos ‘finalmentes’. O PL sempre foi Bolsonaro, é um partido grande e que tem a confiança do presidente”. Ao ser questionado se a filiação seria uma via de mão-dupla, Flávio concorda “Ninguém ganha sozinho, as alianças são necessárias e o Bolsonaro está vendo isso. Não podemos ter só direita ou esquerda, são lados muito radicais”, diz.

O marido da deputada federal Magda Mofatto, afirma ainda que quer uma gestão centro-direita “na minha opinião pessoal, eu não aceito um governo de esquerda, um socialismo… O comunismo deu errado em todos os países da América do Sul. Precisamos de um centro-direita para alavancar o Brasil de novo. A crise econômica não é só aqui. Estamos com desabastecimento e isso gera a inflação, é a lei da oferta e procura. Tudo subiu de preço”, fala.

Já tem data marcada

A nova data para a filiação do presidente Bolsonaro do PL será no próximo dia 30, às 10h30 em uma reunião em Brasília. A data foi acordada na tarde de ontem (23), após um reunião de Bolsonaro com o presidente nacional do partido, Valdemar Costa Neto.