// Poder

Pedido de CPI do MEC é instalado no Senado

Requerimento tem 30 assinaturas e agora depende da autorização do presidente da Casa para início dos trabalhos de investigação

Em

De nada adiantou, a oposição orquestrada pelo senador Flávio Bolsonaro (PL) tentar barrar a Comissão Parlamentar de Inquérito  (CPI do MEC) no Senado.

O líder da oposição no Poder, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), protocolou no início da tarde dessa terça-feira (28), o pedido para investigar suspeitas de corrupção na pasta enquanto gerida pelo ex-ministro Milton Ribeiro.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

O requerimento chega para análise do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) com 30 assinaturas, três a mais que o necessário para a instalação da CPI.

LEIA TAMBÉM

• Debate entre candidatos a presidente é cancelado• Casal Bolsonaro almoça com pastor assassino da atriz Daniela Perez e esposa• Goiás tem Lula e Bolsonaro em empate técnico, mostra pesquisa Diagnóstico

A expectativa de Randolfe é chegar a 34 nomes garantindo margem de segurança  para o andamento dos trabalhos já que o presidente Rodrigo Pacheco passou a ser pressionado pelos apoiadores do presidente para resistir a instalação da CPI.

Nos bastidores da Casa, a informação é que base do presidente Bolsonaro não quer depender apenas da ação de Pacheco, e estão atuando para convencer alguns senadores a retirar a assinatura do documento.

Expectativa

Randolfe Rodrigues protocolou o documento acompanhado pelos senadores Jorge Kajuru (Podemos) e Jean Paul Prates (PT-RN). A expectativa de Rodrigues é de que o requerimento seja lido no Plenário até a próxima quinta-feira (30).

O senador espera ainda que a CPI seja instalada na última semana antes do recesso parlamentar de julho ou na primeira semana de agosto.

Desde o último final de semana que a pressão para investigar o escândalo no MEC aumentou no Senado. Principalmente após a prisão Milton Ribeiro e dos pastores Arilton Moura e Gilmar Santos, pela Polícia Federal.

Na sequência, vazaram áudios de uma conversa de Milton Ribeiro com uma filha indicando uma possível interferência de Bolsonaro nas investigações da PF.

Para engrossar o caldo, o Supremo Tribunal Federal recebeu uma notícia crime do deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG) para que o presidente da República seja, de fato, investigado sobre o vazamento de informações da atuação da PF no caso.

A ofensiva da oposição sobre Pacheco é tão grande, que existe ainda a informação que líderes governistas ameaçam buscar o STF caso a CPI do MEC seja instalada antes de outros pedidos de investigação que já estão protocoladas na Casa.

Fato é que o requerimento pedindo a instalação da CPI foi protocolado. A palavra se a investigação terá, ou não, andamento na Casa, continua com Rodrigo Pacheco.

Tags: