Jornal Diário do Estado

// Facilitando o juridiquês

Qual a diferença de autorização e exclusividade para a intermediação de um imóvel?

Autorização, exclusividade ou os dois? Qual a melhor opção na intermediação na venda de um imóvel? Saiba a diferença entre eles, e quando cada um é mais indicado

Em

Caro leitor, existem dois elementos para que a intermediação de um imóvel aconteça de forma segura, e entender sobre eles é primordial, para sua escolha e desenvolvimento de acordo com a realidade de cada vendedor. A autorização e exclusividade são dois atos diferentes que determinam os termos e condições da relação entre o proprietário do imóvel ou possível comprador e o corretor imobiliário responsável pela sua venda ou locação.

A autorização ocorre quando o proprietário do imóvel ou possíve comprador autoriza a Imobiliária ou o corretor imobiliário a realizar a intermediação do imóvel, mas não impede que outros corretores também realizem a intermediação. Nesse caso, o proprietário pode contratar vários corretores e pagar comissão somente para o corretor que efetivamente vender ou alugar o imóvel.

Já a exclusividade é um contrato em que o proprietário do imóvel ou o possível comprador concede o direito exclusivo de intermediação do imóvel a uma única Imobiliária ou corretor imobiliário. Nesse caso, eles não podem contratar outros corretores para vender/comprar ou alugar o imóvel, e a Imobiliária ou o corretor que detém a exclusividade é o único autorizado a realizar a intermediação.
A escolha entre autorização ou exclusividade depende dos objetivos do proprietário do imóvel ou do comprador e das condições do mercado imobiliário local.

A exclusividade pode ser uma boa opção, pois garante a atenção exclusiva e aumenta as chances de venda ou locação do imóvel. No entanto, a autorização pode ser mais adequada em mercados competitivos ou quando o proprietário deseja trabalhar com vários corretores ao mesmo tempo.

Agora, é necessário que tenha as duas modalidades para intermediar a venda do imóvel? Não as duas, mas no mínimo deve haver a autorização, pois sem ela não é possível sequer anunciar o bem.

Outro ponto relavante é que a exclusividade pode ser mais atraente para uma Imobiliária ou corretor imobiliário, pois ela oferece maior segurança e dedicação na venda do imóvel.

De qualquer forma, é importante que ambas as partes definam claramente as condições do contrato de intermediação, incluindo as comissões e as responsabilidades de cada parte. Assim, é possível garantir uma intermediação eficiente e transparente, que atenda aos interesses de todos.

Me conta sua experiência sobre o assunto através do perfil do Instagram @drleobatista. Até mais!

Tags: