Jornal Diário do Estado

// Poder

Vitor Hugo confronta Mendanha sobre ligação com esquerda e questiona Wolmir sobre incoerências do PT

Candidato ao governo pelo PL aproveitou o debate realizado pelo Grupo Rádio Sucesso/TV Record para criticar movimentações políticas de seus adversários na disputa

Em

O candidato ao Governo de Goiás pelo PL, Vitor Hugo, aproveitou sua participação no debate do último sábado, 17, para confrontar seus adversários políticos na disputa, Gustavo Mendanha (Patriota) e Wolmir Amado (PT).

O debate foi promovido pelo Grupo Rádio Sucesso/TV Record em Rio Verde. Para Gustavo Mendanha, Vitor Hugo concentrou sua artilharia sobre os posicionamentos ideológicos do candidato, já para Wolmir Amado, o foco foram questões relacionadas ao seu partido.

Na primeira pergunta direcionada para o candidato do PT, Vitor Hugo falou sobre temas espinhosos como o “envio de remessas para o exterior, o mensalão, o petrolão, o desvio de dinheiro para o projeto partidário de permanência no poder. “Dentro deste contexto, como o senhor pretende combater a corrupção caso seja eleito?”, perguntou Major Vitor Hugo.

Na resposta de Wolmir, o petista defendeu os integrantes de seu partido e aproveitou para questionar Vitor Hugo sobre o caso dos imóveis adquiridos pela família Bolsonaro com pagamento em dinheiro. Vitor Hugo respondeu que a afirmação é uma fake, pois moeda corrente e dinheiro vivo não é a mesma coisa e que os imóveis são bens adquiridos ao longo do tempo.

Mendanha

Para Mendanha foi questionado as coligações que o ex-prefeito de aparecida de Goiânia fez ao longo de sua trajetória política. Nesse sentido, Vitor Hugo perguntou: “Apesar de se dizer cristão, como eu, o senhor já fez coligações com partidos de esquerda, como o PT, PDT, PV, PT e PCdoB, entre outros partidos que são contra a privatização,  defendem a ideologia de gênero, o aborto e a sexualização precoce das crianças. Como o senhor consegue dormir tendo feito tais alianças?”.

Vitor Hugo também relembrou que Mendanha teve várias oportunidades de apoiar o presidente Bolsonaro, e criticou as tentativas de ser o candidato ao governo de Goiás com a batuta do chefe do Planalto nas eleições desse ano.

“Você teve todas as oportunidades do mundo, enquanto era prefeito de Aparecida de Goiânia, para dar apoio ao presidente Bolsonaro. Eu mesmo convidava você para encontrar o presidente e você alegava que não tinha agenda. E quando você esteve frente a frente com o presidente, a meu convite, não entregou nenhum ofício, nenhum papel, nada, solicitando algo para Aparecida”, continuou Major Vitor Hugo.

Tags: