Crise hídrica: MP vistoria manancial de abastecimento de Senador Canedo

Moradores da região estão há mais de uma semana sem água e tiveram que comprar caminhões pipa para o abastecimento.

A equipe do Diário do Estado relatou nesta quinta-feira (16) denúncias de moradores da Vila Santa Matinha, em Senador Canedo, pela falta de abastecimento hídrico no setor. Eles  se reuniram para comprar dois caminhões pipas no valor de R$2.400,00 para abastecer suas casas. O jornal foi chamado para ouvir esses moradores que estão há mais de uma semana sem água.

O Ministério Público de Goiás (MPGO) vistoriou ainda ontem a captação do Rio Bonsucesso,
principal manancial de abastecimento municipal. O rio teve seu volume aumentado em 20 vezes dentro do plano emergencial, conforme esclarecido à promotora de Justiça Marta Moriya Loyola durante a visita.
A promotora, titular da 2ª Promotoria de Justiça de Senador Canedo, também esteve na área do reservatório de 1 milhão de litros d’água que colapsou. Ficou definido que será entregue novo reservatório em quatro meses. A obra integra o Consórcio Sul, por meio do qual se pretende aumentar a distribuição, com o objetivo de atender 20 mil novas unidades consumidoras e um passivo existente na região.
Conforme pondera a promotora, embora venham ocorrendo falhas pontuais, o Plano Emergencial está sendo executado e a previsão de sua conclusão é em 30 de outubro. “Todos esses problemas estruturais são complexos e têm de ser resolvidos mediante planejamento. Assim, fizemos o diagnóstico e temos de cumprir etapas, sob pena de dar uma solução apenas pontual, de curto prazo, que pode acabar agravando ou perpetuando o problema”, esclareceu, Marta Moriya.
Problemas de interrupção de água podem ser comunicados ao MP
A promotora destaca ainda que problemas de interrupção de água podem ser comunicados ao Ministério Público. Além da apresentação de denúncia por meio do MP Cidadão (acesso por este link), as reclamações podem ser enviadas para o WhatsApp da 2ª Promotoria de Justiça de Senador Canedo: (62) 3512-8907.
Texto: Cristina Rosa/Assessoria de Comunicação Social do MPGO
Tags: