Jornal Diário do Estado

Delegacia falsa que usava símbolo da polícia de Goiás é descoberta em Novo Hamburgo, RS

Criminosos montaram estrutura para aplicar "golpes do nudes" em aplicativos de mensagem

A Polícia Civil de Novo Hamburgo (RS) descobriu uma delegacia falsa no município, nesta quarta-feira (27). A estrutura tinha banners de PCs de diversos Estados da Federação, inclusive de Goiás. Segundo os policiais, a farsa foi montada para que o grupo aplicasse “golpes de nudes”. O local foi descoberto durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão no bairro de Canudos.

A polícia do Rio Grande do Sul encontrou uma sala que imitava uma Delegacia de Polícia, com mesa, cadeiras, computadores, impressoras, algemas, rádios comunicadores, armamentos falsos (arma longa e pistola), camisetas e canecas da Polícia Civil. Havia banners de PCs de estados como Goiás, Minas Gerais, Santa Catarina, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul. Os criminosos tinham ainda banner da Polícia Federal, bandeiras do RS, Brasil e de Santa Catarina. Também foram encontrados, aproximadamente, 2,5 mil comprimidos de ecstasy.

No local, havia diversos documentos forjados pela organização criminosa com fotos e dados das vítimas para aplicar o golpe dos nudes, inclusive um caderno com anotações dos valores recebidos. Neste golpe, os criminosos conversam com as vítimas por aplicativo de mensagem e as convencem a enviar fotos íntimas. Muitas vezes, se passam por adolescentes. Depois,fingem ser pais destes adolescentes, pedindo dinheiro para não fazer denúncia, ou delegados de polícia, que oferecendo arquivamento do inquérito em troca de pagamento. As vítimas da falsa delegacia, segundo a PC, eram de diversos estados e os golpistas conseguiam milhares de reais em um único mês.

Três pessoas foram presas, uma de Santa Catarina e outra do Rio Grande do Sul. Um quarto suspeito de Santa Catarina está foragido e usando documento falso do Estado do RS. Os autuados responderão pelos crimes de tráfico ilícito de entorpecentes e associação ao tráfico de drogas, formação de quadrilha, estelionato, extorsão e uso de distintivo/símbolos de função pública que não exerce.

Equipamentos policiais falsos encontrados. (Foto: Polícia Civil/ Rio Grande do Sul)