Depois de 18 temporadas e quase mil jogos, goleiro Fábio deixa o Cruzeiro

Um dos maiores ídolos da história do clube não entrou em acordo com a nova administração

O goleiro Fábio não faz mais parte do elenco do Cruzeiro Esporte Clube. Um dos maiores ídolos da história do time não entrou em acordo com a nova diretoria e deixará a agremiação após quase mil jogos disputados com a camisa da Raposa. Aos 41 anos, o jogador se despede da equipe mineira com três títulos da Copa do Brasil, dois Brasileiros e sete campeonatos estaduais.

A carreira de Fábio no Cruzeiro

Fábio começou a sua carreira em 1997, antes de ir para o Cruzeiro. Passou brevemente por União Bandeirante e Athletico Paranaense, tendo sua primeira passagem pela Raposa em 2000. Naquela temporada, o goleiro entrou em campo apenas quatro vezes, mas fez parte do plantel que levantou a taça da Copa do Brasil. No mesmo ano, o atleta se transferiu para o Vasco e lá ficou até 2004, faturando um Brasileirão no período, ainda sem ostentar titularidade. A partir de 2005, ele retornou ao Cruzeiro e então fez história no clube.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

No total, Fábio disputou 976 partidas com o uniforme celeste. No ano passado, o arqueiro havia renovado contrato para conseguir completar os mil jogos e encerrar a sua carreira em Belo Horizonte. Porém, desde a compra do Cruzeiro por parte de Ronaldo Fenômeno, a situação de Fábio estava indefinida. Na última quarta-feira (5), o clube anunciou em suas redes sociais a saída do atleta, agradecendo por tudo o que ele fez em sua trajetória na equipe.

Por que goleiro e time se separaram?

De acordo com o Cruzeiro, em nota oficial publicada no site do time, um acordo foi negociado, mas acabou não sendo bem-sucedido. “A proposta respeitava também a imprescindível responsabilidade econômica da entidade. Necessário ressaltar que, ainda assim, sendo Fábio o ídolo que é, um importante sacrifício econômico foi feito”, dizia parte da postagem.

De acordo com Fábio, ele teria aceitado se adequar ao novo teto salarial do clube, mas queria renovar o seu contrato até o fim de 2022. A Raposa, por outro lado, queria estender o vínculo somente até o fim do Campeonato Mineiro. A ideia do Cruzeiro era proporcionar uma despedida digna do atleta diante de sua torcida, ao mesmo tempo em que pensava em outra peça para defender a meta mineira ao longo da temporada. O arqueiro não aceitou a proposta do clube, o que impediu que a relação continuasse. As palavras completas de Fábio podem ser conferidas por aqui.

Tags: