Depois do viagra, Kajuru e Elias Vaz investigam compra de próteses penianas por parte do Exército

Foram adquiridas 60 próteses destinadas ao Exército em três pregões realizados em 2021. Os gastos chegaram a quase R$ 3,5 milhões

Depois de questionar os processos de compra de 35 mil comprimidos de Viagra, com valores 143%  acima do mercado, para as Forças Armadas, o deputado federal Elias Vaz (PSB-GO), agora com apoio do senador José Kajuru (Podemos-GO), identificaram que o Ministério da Defesa também aprovou a compra de 60 próteses penianas destinadas à unidades do Exercito.

O valor para a aquisição das próteses chama atenção, quase R$ 3,5 milhões. De acordo com o Painel de Preços do Portal da Transparência do Governo Federal, foram feitos três pregões eletrônicos no ano passado para comprar as próteses que tem tamanhos diferentes, entre 10 e 25 centímetros.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Elias Vaz e Jorge Kajuru se comprometeram em levar o caso ao Tribunal de Contas da União (TCU) e ao Ministério Público Federal (MPF).

LEIA TAMBÉM

• PF investiga governo Bolsonaro por pagar propaganda superfaturada• Collor se ‘emociona’ ao falar de Bolsonaro e vídeo viraliza• Luiz do Carmo defende aliança com Caiado, mas não descarta outras opções

“O questionamento que fazemos é: por que o governo Bolsonaro está gastando dinheiro público para pagar essas próteses? O povo brasileiro sofre para conseguir medicamentos nas unidades de saúde e um grupo é atendido com próteses caríssimas, de R$50 mil a R$60 mil a unidade”, ressaltou Elias Vaz.

Até o momento, o Ministério da Defesa ainda não se pronunciou sobre a compra das próteses penianas. A informação é que o Exército tem autonomia para usar os recursos de acordo com a conveniência da instituição.

Elias Vaz disse que a justificativa das Forças Armadas para a compra do Viagra também não convenceu. Isso porque de acordo com a dosagem do medicamento que foi adquirido não é indicado para tratamento de pacientes com Hipertensão Arterial Pulmonar, servido apenas para tratar disfunção erétil.

“Não vamos cair nessa conversa fiada do governo Bolsonaro”, garantiu o deputado federal.

 

Tags: