Jornal Diário do Estado

Desde que se tem registro, setembro deste ano foi o mês mais quente da história

Para a América do Sul, o relatório informa que o subcontinente experimentou altas temperaturas, especialmente Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Peru

O último mês de setembro foi o período mais quente em todoo Planeta Terra, é o que informa o Programa de Observação Copernicus da União Europeia. O levantamento aponta que a temperatura média do ar na superfície da Terra foi de 16,38°C, 0,93°C acima da média de setembro dos anos de 1991 até 2020.

Aumentando o período de comparação, setembro como um todo foi cerca de 1,75°C mais quente do que a estimativa da média para o mês entre os anos de 1850 a 1900. O Programa de Observação Copernicus revela que a temperatura média global nos primeiros nove meses de 2023, de janeiro a setembro, foi de 0,52°C, superior à média registrada entre 1991 e 2020 e 0,05°C superior à média de nove meses de 2016.

O levantamento indica ainda que setembro foi mais quente para a Europa já registrado, com 2,51°C acima da média entre os anos de 1991 e 2020 e 1,1°C acima do que foi observado em 2020, o setembro mais quente anteriormente. A temperatura média do mar também registrou aumento em setembro. Entre 60°S e 60°N, a temperatura do mar atingiu 20,92°C, a mais elevada registada no período e a segunda mais alta de todos os meses.

Para a América do Sul, o relatório do Programa de Observação Copernicus informa que o subcontinente experimentou altas temperaturas, especialmente Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Peru. As temperaturas foram acima da média na parte sul e oeste da América do Sul e apenas o extremo sul e leste da região registraram temperaturas abaixo da média.