Diretora da Precisa Medicamento diz que ata do Ministério da Saúde é mentirosa

Ela afirma que, tanto em e-mails quanto em reuniões, esperava-se que a dose custasse menos que o valor mencionado no documento do Ministério.

Emanuela Medrades, diretora da Precisa Medicamentos, prestou depoimento à CPI da Covid-19 na quarta-feira (14) após se recusar a responder perguntas de senadores na terça, baseando-se em uma decisão do STF. Segundo Medrades, a vacina Covaxin nunca foi ofertada ao governo federal por 10 dólares.

Ela afirma que, tanto em e-mails quanto em reuniões, esperava-se que a dose custasse menos que o valor mencionado no documento do Ministério. Francisco Emerson Maximiano, sócio da Precisa Medicamentos, também havia sido convocado para falar, mas seu depoimento foi adiado para agosto.

A empresa teria sido responsável por intermediar a venda do imunizante de fabricação indiana ao Brasil, uma transação que é alvo de investigação pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal por suspeita de favorecimento do governo federal.

Tags: