Dois homens são presos por matar e colocar fogo em idoso, em Rio Verde

Um dos suspeitos confessou ter matado a vítima estrangulada. O outro ajudou a esconder o veículo do idoso

Dois homens foram presos suspeitos de matar e atear fogo em idoso, em Rio Verde, região Sudoeste de Goiás. Um dos suspeitos confessou ter matado Wellington Freitas, de 67 anos, e o outro disse ter ajudado a esconder a caminhonete da vítima.

De acordo com a Polícia Civil (PC), o homem que admitiu ter matado o corretor foi preso em Rio Verde nesta quarta-feira, 22. Já o segundo suspeito foi encontrado em Iporá, na terça-feira, 21.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Segundo o delegado Adelson Candeo, o suspeito disse ter matado o idoso estrangulado com uma corda dentro do próprio carro da vítima. Em seguida, saiu procurando um lugar para abandonar o carro dela. Neste momento, ele contou com o apoio do outro homem.

LEIA TAMBÉM

• Tráfico de drogas e armas corre solto nas plataformas digitais• Quarteto é preso suspeito de matar corretor de imóveis, em Rio Verde• Vídeo: Prestadores de serviço da Enel são presos por furto de cabos, em Quirinópolis

Ainda conforme o delegado, o suspeito ofereceu cerca de R$ 6 mil para que o comparsa levasse a caminhonete da vítima até a GO-333, onde foi encontrada. No local, tentou incendiar o veículo, mas, sem sucesso.

O homem confessou o assassinato da vítima por estrangulamento, mas negou ter colocado fogo no corpo. No entanto, o cadáver do idoso foi encontrado carbonizado e segundo a perícia, Wellington ainda respirava quando colocaram fogo no corpo dele.

Os criminosos vão responder por homicídio duplamente qualificado e por dano qualificado ao veículo da vítima.

Idoso encontrado carbonizado:

Wellington Freitas desapareceu às 9 horas da manhã de segunda-feira, 20. Após 14 horas, ele foi encontrado carbonizado às margens da BR-060, próximo de uma fazenda que ele tinha comprado há pouco tempo, em Rio Verde.

De acordo com a Polícia Civil (PC), o idoso não tinha recebido ameaças recentemente, mas fazia transações bancárias de valores altos. Nas últimas semanas, ele comprou uma fazenda e um avião.

Tags: