Em 2021 ainda há motivos para celebrar o Dia da Árvore?

O desmatamento maciço das últimas décadas tem relação direta com o aumento da temperatura

Hoje (21/09) celebra-se o Dia da Árvore, entretanto, no quesito desmatamento, essa data coincide com o pior índice dentro de 10 anos, de acordo com o Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Apenas no mês de agosto, uma área equivalente a cinco vezes o tamanho de Belo Horizonte (MG), foi desmatada na Amazônia.

Regiões com pouco verde e com altas concentrações de construções e de pessoas, facilmente conseguem que a sensação térmica estoure os pontos do termômetro. E é exatamente o que acontece com os grandes centros urbanos. De acordo com um estudo da Universidade do Estado do Arizona (EUA), se em uma área que é apenas de estacionamentos ou prédios e cobri-la pelo menos 1/4 do espaço com árvore, poderá reduzir a temperatura do ar em cerca de 4,4º C.

A Arquiteta e Urbanista Nicole Garrido Saddi confirma a proporção infeliz que o planeta Terra tem vivido:

“As árvores desempenham vários processos importantes para o equilíbrio natural e controle térmico, de modo que o desmatamento maciço que tem ocorrido nas últimas décadas causa impacto direto no aumento da temperatura”, diz.

Sobre a importância das árvores no nosso bioma, ela ainda afirma que elas ajudam no controle da umidade, atenuação sonora, filtragem do ar, atenuação de incidência direta do sol no solo, controle de infiltração de água, controle de impactos dos ventos, dentre outros diversos benefícios.

Chegada da Primavera

Amanhã, 22 de setembro, é o início da primavera e, com ela, as chuvas. Esse período de transição entre o tempo seco e chuvoso pode demonstrar um desequilíbrio dos processos naturais, alerta Saddi “percebe-se uma alteração da extensão e intensidade das temperaturas e fenômenos meteorológicos que antes haviam estabelecido um certo padrão de regularidade”.

Goiânia é a cidade mais arborizada do Brasil

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Goiânia é a cidade mais arborizada do Brasil, dentre os municípios com mais de um milhão de habitantes, com 89,5%. Os dados são o resultado da avaliação do número de árvores nas calçadas e canteiros da cidade. Em segundo lugar fica Campinas (SP) e terceiro Belo Horizonte (MG).

Hoje, em Goiânia, em celebração ao Dia da Árvore, duas ações se destacaram: a da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA) com o plantio de 46 mil mudas para recuperação de áreas que perderam cobertura vegetal, e a da Companhia de Urbanização do Município de Goiânia (Comurg) com a semeadura de 50 mil sementes para implantar paisagismo sustentável nos espaços públicos urbanos.

Tags: