Em Goianésia, homem é preso por se negar a ser atendido por mulher negra

Segundo a garçonete, o cliente a chamou de "preta feia" e afirmou não querer ser atendido por "preto nenhum"

Em Goianésia, uma mulher relatou um caso de racismo em um comércio da cidade. De acordo com Daiane Pereira dos Santos, o homem se recusou a receber atendimento dela por conta de sua cor de pele, chamando-a de “preta feia”. A Polícia Militar entrou em ação e prendeu o suspeito por injúria racial e racismo.

Racismo em Goianésia

Segundo o depoimento de Daiane, o homem entrou no comércio em que ela trabalha em Goianésia e começou a ingerir bebidas alcoólicas. Em certo momento, ela se dirigiu a ele com uma cerveja, e então veio o caso de racismo.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

“No momento em que eu fui levar a cerveja, ele olhou para mim e disse: ‘eu não quero ser atendido por você, sua preta feia. Eu quero meu dinheiro de volta’. Depois ele falou para a gerente: ‘por ela e nem por preto nenhum’”, afirmou a mulher à TV Anhanguera.

LEIA TAMBÉM

• Maquiadora e influencer goiana que zombou de vagas para autistas é indiciada• Hamilton rebate comentário de Piquet: “mentalidade arcaica”• Mulher que agrediu motorista grávida é indiciada por injúria e lesão

O homem ainda teria dito que gostaria que uma “branquinha bonitinha” o atendesse. Na ocorrência da Polícia Militar, a situação se mostrou ainda pior. Ao perguntar para uma mulher no estabelecimento se teria namorado, ela afirmou que na verdade estava na companhia de sua namorada. O homem então teria xingado as duas.

Tags: