Em Goiás, batidas contra postes aumentam 50% nos últimos quatro anos

Levantamento foi realizado pela Enel e mostra que, em 2022, a média é de 14 casos por dia, considerando todo o estado

A quantidade de batidas contra postes em acidentes de trânsito aumentou 52% nos últimos quatro anos, em Goiás. Os dados são da companhia de distribuição de energia Enel Goias, divulgados nesta quinta-feira (12), em meio à campanha do Maio Amarelo, que busca diminuir número de acidentes.

Segundo a Enel, de janeiro a abril de 2019 foram registradas 1,1 mil colisões contra postes de energia elétrica. Já no mesmo período de 2022, o número subiu para 1.680. Na prática, são em média 14 batidas contra postes, por dia, no estado, apenas nos quatro primeiros meses deste ano.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Segundo a companhia, os casos são mais comuns entre sexta e segunda-feira, por conta dos finais de semana. Após o acidente, a estrutura atingida precisa ser substituída, assim como o trecho da rede elétrica. Trabalho que, de acordo com a Enel, pode levar horas.

LEIA TAMBÉM

• Goiás perde para o América e amarga a zona de rebaixamento• ‘Minha dor só não é maior do que o meu amor’, escreve Caiado sobre perda do filho• Vídeo: piloto se envolve em acidente assustador na Fórmula 1

O que fazer nesta situação?

Segundo Ícaro Barros, responsável pela Operação e Manutenção da Enel Goiás, se o poste ou cabos caírem sobre o veículo, os passageiros e o motorista não devem descer do carro. “Não devem tocar na parte metálica e precisam acionar a Enel e o Corpo de Bombeiros para que possamos fazer o socorro e remoção das pessoas de forma segura, evitando choques elétricos”, explica.

Outra orientação é não tocar nos cabos que estiverem caídos no chão ou por cima dos carro. Também não se pode ficar embaixo da rede de energia danificada. “Caso você seja um pedestre passando, entre em contato com o socorro, mas não se aproxime do local. Os cabos podem estar energizados e é fundamental que se evite risco de choque elétrico”, alerta o funcionário da Enel.

 

Tags: