Em último lugar na Série B, Vila Nova contrata terceiro técnico na temporada

Allan Aal chega com a missão de melhorar o rendimento do time, que está dentro da zona de rebaixamento

Em situação para lá de desconfortável, o Vila Nova terá um terceiro técnico diferente no comando do time nesta temporada. O Tigre começou o ano com Higo Magalhães ocupando a função, e depois voltou os olhos para Dado Cavalcanti. No último sábado, 2, o clube goiano optou por demiti-lo, acertando com Allan Aal como seu substituto. Quais são os números de cada um?

O Vila Nova de 2022

As esperanças do torcedor do Vila Nova estavam lá em cima no início de 2022. No ano anterior, o time fez uma boa campanha na Série B, terminando na parte de cima da tabela de classificação. Em seguida, contratou peças conhecidas do futebol brasileiro, como Matheuzinho, Wagner e Ralf, e ostentou boas atuações no Goianão.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Porém, desde a queda nas semifinais do Campeonato Goiano, o Vila Nova vem patinando. Fez uma partida bastante digna contra o Fluminense no Maracanã, mas acabou sofrendo a eliminação na Copa do Brasil. Isso culminou na primeira demissão de treinador do ano: a de Higo Magalhães.

LEIA TAMBÉM

• Goiano conquista quarto título no Campeonato Brasileiro de Tiro com Arco• Atlético respira, Goiás sente gosto amargo, Aparecidense e Vila vivem tensão• Aparecidense deixa G-8 e vive drama em reta decisiva; Anápolis está eliminado

Higo iniciou a temporada com prestígio da diretoria, justamente por conta das exibições do ano anterior. Foram 25 partidas à frente do Vila Nova em 2022, com oito vitórias, dez empates e sete derrotas, um aproveitamento de 45,3%. Quando a diretoria decidiu demiti-lo, o treinador passava por um período de uma vitória em 12 jogos.

Com isso, chegou Dado Cavalcanti. Em toda a sua passagem, o técnico não conquistou nenhum triunfo. Em nove partidas, foram quatro empates e cinco derrotas, um aproveitamento de 18,5%. Agora, Allan Aal chega para preencher essa lacuna e tentar tirar o Tigre da crise.

Em seu currículo, o profissional de 43 anos acumula passagens por clubes como Rio Branco-PR, Portuguesa, Cascavel, Paraná, Cuiabá, Guarani e CRB. Esteve por último no Grêmio Novorizontino.

Atualmente, o único torneio que o Vila Nova disputa é o Brasileirão Série B. A equipe figura em último lugar, com cinco pontos de diferença em relação ao primeiro time fora do Z-4, o Ituano. Já são dez jogos sem ganhar pela competição, sem contar o revés perante o Fluminense na Copa do Brasil.

Tags: