Esteticista queima o rosto de cliente após durante briga com o namorado, na Turquia

A mulher prometeu que nunca mais irá pisar em uma clínica de estética e diz estar traumatizada com o ocorrido

Na Turquia uma mulher ficou com o rosto cheio de marcas e cicatrizes após realizar um tratamento de rejuvenescimento facial com laser. As queimaduras no rosto da mulher foram resultado de uma distração da esteticista que fazia o procedimento, que começou a discutir com o namorado pelo telefone e se esqueceu da paciente.

Asli Ilhan, de 42 anos, tinha retornado para realizar a segunda sessão do procedimento na clínica em que é paciente desde novembro do ano passo. Segundo o jornal The Sun, a turca sentiu o rosto queimar e uma “dor terrível”, enquanto ouviu a esteticista e seu companheiro trocarem insultos.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Ao fim do procedimento, a vítima informou que foi à uma farmácia e comprou cosméticos na tentativa de amenizar as dores que estava sentindo, entretanto, Asli Ilhan acabou com cicatrizes permanentes em todo o rosto.

“As vezes as pessoas cometem erros, mas, nesta ocasião, eu paguei o preço alto”, disse a mulher ao jornal britânico.

Asli prometeu nunca mais pisar em uma clínica de estética, devido ao trauma, e fez uma queixa judicial contra o proprietário do estabelecimento. Na justiça, ela alegou que, além das dores o convívio com as marcas e cicatrizes no rosto tem deixado ela com problemas de autoestima.

Processo Judicial

Este mês, o tribunal da Turquia condenou o proprietário da clínica a pagar uma multa de 3.360 liras turcas (aproximadamente R$1.562), em 10 prestações, como forma de indenizar a vítima. Segundo o advogado de Asli, a sentença foi fraca.

“Pensamos que a pena por queimar o rosto de uma pessoa de uma forma que deixa marcas óbvias não é uma multa judicial”, declarou Suleyman Kesici, advogado da vítima.

A vítima também criticou a decisão tomada pela justiça turca, e ressaltou os danos psicológicos causados, “Não só o meu rosto ficou gravemente queimado, mas também tive diversos problemas psicológicos durante esse período. A dor que sofri em um ano será compensada com uma pequena multa paga em 10 vezes. Não aceito de forma alguma essa decisão”.

Tags: