Jornal Diário do Estado

Estudantes da rede pública de ensino participam maratona de programação

O Bootcamp Low Code é uma preparação das equipes que vão participar da Hackthon Low Code, durante Campus Party Goiás; mais de 190 alunos e 60 professores participam da maratona tecnológica

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de Goiás (Secti), em parceria com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e o Centro de Excelência em Inteligência Artificial da Universidade Federal de Goiás (Ceia/UFG), promove, nesta terça e quarta-feira (23 e 24/05), a terceira edição do Bootcamp Low Code.

A expectativa é de que 192 alunos e 64 professores da rede estadual de ensino e das Escolas do Futuro de Goiás (EFG) participem da maratona, na EFG Luiz Rassi, em Aparecida de Goiânia. Serão 32 equipes, cada uma composta por seis alunos e dois professores. A maratona tem o objetivo de desenvolver o pensamento computacional e habilidades de programação e empreendedorismo em crianças e jovens de 9 a 20 anos.

O Bootcamp Low Code é uma etapa de preparação das equipes para a Hackthon Low Code, que acontece durante a Campus Party Goiás, entre os dias 7 e 11 de junho. As equipes terão de desenvolver o protótipo de um software, utilizando ferramentas simples de programação, criar um nome, justificativas, identidade visual e interface para o projeto.

Para o titular da Secti, José Frederico Lyra Netto, esta é uma oportunidade única para os estudantes. “Esta experiência desperta o interesse dos nossos jovens por tecnologia. Na maioria dos casos, é o primeiro contato que eles têm com programação. Eles começam a entender que podem fazer a diferença na sociedade, desenvolvendo soluções inovadoras. Não tenho dúvida de que este projeto tem potencial para mudar a vida de muitos jovens e impactar positivamente suas famílias”, salienta o secretário.

Já a secretária de Educação de Goiás, Fátima Gavioli, destaca a inclusão de alunos indígenas e quilombolas. “É um momento muito especial no qual esses jovens podem explorar sua imaginação, sua criatividade e exercer o protagonismo. É uma experiência que, certamente, contribui para o desenvolvimento dentro e fora da escola. O Bootcamp, abrindo possibilidade para que indígenas e quilombolas também participem, mostra que esse é um governo que cuida de todos”.

Programação

Durante os dois dias de maratona, os alunos participam de palestras sobre “Confiança Criativa” e “Criando seu primeiro Pitch”, com a instrutora Margareth Ribeiro do Sebrae Goiás; desafio da caixa maker e capacitação “Lean Canvas”; além do desenvolvimento da prototipação e do pitch, mais a rodada de mentorias, revisão e apresentação dos projetos.

Para desenvolver os projetos, os alunos contam com o apoio de professores que já participaram da formação “Criando soluções inovadoras: da ideia à prototipação”, realizada em abril. Com carga horária de 40 horas, o curso abordou os conteúdos “Empreendedorismo e inovação”, “Gamificação em equipes” e “Prototipando minha ideia”.

A novidade do Bootcamp Low Code deste ano é a inclusão de alunos e professores das Escolas do Futuro de Goiás, alcançando um número maior de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social e econômica.