Ex-advogado da família Bolsonaro e advogados de Lula e Witzel são alvos da PF

Os três são suspeitos de participar de um esquema que desviou R$ 355 milhões, entre 2012 e 2018

Nesta quarta-feira, 09, a Polícia Federal (PF) cumpre 51 mandados de busca e apreensão de uma nova fase da Operação Lava Jato, em endereços localizados no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Alagoas, Ceará e Pernambuco. Entre os alvos estão o advogado Cristiano Zanin, do ex-presidente Lula; a advogada Ana Tereza Basílio, do governador afastado do RJ, Wilson Witzel; e Frederick Wassef, advogado que representou a família Bolsonaro.

Os três são suspeitos de participar de um esquema que desviou R$ 355 milhões, entre 2012 e 2018, do Sesc-RJ, do Senac-RJ e da Fecomércio-RJ. Ao todo, 170 policiais federais, divididos em 44 equipes, estão nas ruas. Os mandados judiciais foram expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

De acordo com o MPF, a Operação E$quema S apura que dos R$ 355 milhões gastos a pretexto de advocacia, por serviços supostamente prestados à Fecomércio-RJ, ao menos R$ 151 milhões foram desviados em esquema liderado por Orlando Diniz, Marcelo Almeida, Roberto Teixeira, Cristiano Zanin, Fernando Hargreaves, Vladimir Spíndola, Ana Tereza Basílio, José Roberto Sampaio, Eduardo Martins, Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo. Os 11 foram denunciados por organização criminosa.

A operação, realizada nesta manhã, é feita em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF) e Receita Federal. Os suspeitos vão responder por tráfico de influência, exploração de prestígio, peculato, estelionato, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa, segundo informações da PF.

Tags: