Ex-ministro Milton Ribeiro é preso e pastores ligados a ele são alvos da PF

Operação Acesso Pago está cumprindo 13 mandados de busca e apreensão em alguns estados, incluindo Goiás

A Polícia Federal (PF) deflagrou a operação “Acesso Pago” na manhã desta quarta, 22. Um dos alvos da investigação é o ex-ministro Milton Ribeiro, que pediu demissão do Ministério da Educação (MEC) em março. Ele está preso preventivamente. Além de Ribeiro, alguns pastores, como o goiano Gilmar Santos, também receberam mandados de prisão.

A operação da PF

Em nota oficial, o Governo Federal informou que a operação da PF investiga a prática de tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, vinculado ao MEC.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

A atualização é de que Milton Ribeiro, além dos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, são alguns dos alvos. Estão sendo cumpridos 13 mandados de busca e apreensão em Goiás, São Paulo, Pará e Distrito Federal. A investigação corre sob sigilo.

LEIA TAMBÉM

• Dia dos Pais: movimento em bares e restaurantes deve aumentar 30%• Goiás chega a marca de 60 casos confirmados de varíola dos macacos• Tendência nacional, mais lares goianos passam a ser chefiados por mulheres

No mês de março, houve áudio vazado de Milton Ribeiro, então ministro da Educação, apontando favorecimento no repasse de verbas ao pastor Gilmar Santos, a pedido do presidente Jair Bolsonaro (PL). Vale ressaltar que o presidente foi quem nomeou diretamente Milton Ribeiro como ministro da Educação.

Por conta do escândalo, o ex-ministro pediu demissão. Há suspeita de corrupção, tráfico de influência e cobrança de propina, algo que alguns prefeitos corroboram. Além dos mandados de prisão, a PF tomou medidas cautelares diversas, como proibição de contatos entre os investigados e envolvidos.

Tags: