Filho de ministro do TCU é alvo da 45ª fase da Lava Jato

O advogado Tiago Cedraz – filho do ministro Aroldo Cedraz, do Tribunal de Contas da União (TCU) – é um dos alvos de busca da 45ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta quarta-feira (23) em Salvador, Brasília e Cotia (SP). Ao todo, quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos na atual fase, batizada de Abate II.

Cedraz chegou às 11h na superintendência regional da Polícia Federal, em Brasília. Havia uma intimação da PF para que ele comparecesse ao local para prestar depoimento. Os mandados de buscas contra ele foram cumpridos na Asa Sul, bairro nobre de Brasília.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Segundo as investigações, o lobista Jorge Luz, que está preso em Curitiba, disse em depoimento que o advogado Tiago Cedraz intermediou conversas entre a empresa norte-americana Sargeant Marine e a Petrobras e que ele teria recebido US$ 20 mil em propina por isso. Cedraz recebeu os recursos em contas mantidas na Suíça em nome de offshores, ainda de acordo com as investigações.

O advogado divulgou nota reiterando “sua tranquilidade quanto aos fatos apurados por jamais ter participado de qualquer conduta ilícita”. Cedraz afirma ainda que “confia na apuração conduzida pela Força Tarefa da Lava Jato e permanece à disposição para quaisquer esclarecimentos necessários”.

Principais suspeitas

A Operação Abate II apura a participação de 2 advogados em esquema de propina na Petrobras. A ação é uma continuação da Abate I, realizada há 5 dias para investigar irregularidades na contratação da Sargeant Marine pela Petrobras.

Segundo a força-tarefa da Lava Jato, a Sargeant pagou US$ 500 mil ao PT, ao ex-deputado Cândido Vaccarezza e a funcionários da Petrobras para fornecer asfalto à estatal.A Abate II indica que Cedraz e outro advogado, juntos, US$ 50 mil em comissões em contas na Suíça para facilitar a contratação da Sargeant pela Petrobras.


As informações são do G1

Tags: