Jornal Diário do Estado

Goianas presas por tráfico na Alemanha: o que se sabe sobre o caso

Mulheres tiveram as malas trocadas em aeroporto e foram levadas em custódia; atualmente, estão presas em Frankfurt

Há mais de um mês, duas goianas foram presas na Alemanha por suspeita de tráfico de drogas. Kátyna Baía e Jeanne Paolini tiveram as malas trocadas no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Assim que chegaram a Frankfurt, as autoridades alemãs prenderam ambas por conta das substâncias encontradas na bagagem. Elas seguem detidas na Europa.

As goianas presas na Alemanha

No dia 5 de março, a empresária Kátyna, de 44 anos, e a sua esposa Jeanne, uma veterinária de 40 anos, estavam viajando de Goiânia para Frankfurt, com conexão em Guarulhos. A intenção era passear juntas por alguns países da Europa, mas o sonho logo se tornou um pesadelo. Assim que desembarcaram na Alemanha, as goianas foram presas por tráfico internacional de drogas.

A Polícia Federal (PF) deflagrou uma operação com investigações de traficantes que levam cocaína para a Europa ao utilizar bagagens de passageiros inocentes. Até agora, seis pessoas foram presas.

O órgão, inclusive, já se manifestou a respeito do caso de Kátyna e Jeanne, afirmando que há fortes indícios de que elas são inocentes. As autoridades alemãs também acreditam nisso, mas querem ter acesso a todos os vídeos e ao inquérito completo da PF antes de soltar as goianas.

Nesta segunda-feira, 10, familiares e a advogada das goianas viajaram para Frankfurt na intenção de dar suporte e acolhimento para as duas. A viagem tem apoio da PF e da embaixada brasileira na Alemanha.