Home»Cotidiano»Governo de Goiás apresenta ações em três áreas para municípios mais vulneráveis

Medidas estão concentradas na educação, habitação e saneamento. O assunto foi tema de reunião do Gabinete de Políticas Sociais com prefeitos e secretários municipais

0
Shares
Pinterest Google+ Whatsapp
(62) 9 8219-1904 Fale com o Diário do Estado


O Gabinete de Políticas Sociais apresentou novas ações a serem realizadas nos dez municípios goianos mais vulneráveis do Estado, identificados pelo Índice Multidimensional de Carência das Famílias Goianas (IMCF). De acordo com a primeira-dama e coordenadora do grupo, Gracinha Caiado, as primeiras medidas estão concentradas nas áreas da habitação, saneamento e também educação. A reunião com os prefeitos e secretários municipais foi realizada nesta quinta-feira (30), no Palácio Pedro Ludovico Teixeira.
“São atitudes efetivas do Governo do Estado e me traz muita alegria ver concretizando aquilo que o povo tanto precisa”, comemorou a primeira-dama Gracinha Caiado. Para ela, o trabalho exigirá interação e integração com os municípios, já que diante das informações e dados coletados as prefeituras terão que mostrar quais as prioridades nas ações.
“A Agehab [Agência Goiana de Habitação] já fez mapeamento em todos os municípios e ações em desenvolvimento, que podem ser concluídas o mais rápido possível. As 10 cidades são prioridade para o governador Ronaldo Caiado”, informou Gracinha. Na reunião, os representantes da pasta apresentaram algumas modalidades de financiamentos que podem ser realizadas tanto para a construção de habitações, quanto para a reforma de casas populares. São casas construídas de placas e que podem ser, agora, substituídas por edificações de alvenaria. A Agehab também citou convênios para a reforma de escolas, Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e unidades de saúde nos municípios. “Estamos apresentando as possibilidades e também queremos ouvi-los. Isso é importante para uma parceria que leve dignidade a esse povo”, ressaltou o vice-presidente da Agehab, Luiz Sampaio.
Abastecimento
Já a Saneago se comprometeu em fazer investimentos para melhoria na rede de água nas cidades identificadas no IMCF e também abriu diálogo com o município de Colinas do Sul, já que a empresa não tem concessão para atuar na cidade. O prefeito, Nilo Adriano, demonstrou interesse em firmar parceria para melhorar o abastecimento na cidade — que foi visitada pela primeira-dama na última quarta-feira, 29.
Também ficou acertada a implantação de um projeto para levar água para as comunidades Kalunga, em três municípios. O compromisso é que isso ocorra até o final deste ano, conforme técnicos da Saneago.
Em abril, Gracinha Caiado visitou as comunidades de São Domingos e Vão do Moleque, em Cavalcante, e garantiu que irá mudar a realidade daquelas pessoas, que sofrem sem água, energia elétrica e vivem isolados. Desde então, o Governo de Goiás conseguiu a abertura de duas salas de aula na região, incrementou a merenda escolar, levou energia fotovoltaica para mais de 100 famílias e promoveu atendimentos especializados de Saúde.
Alfabetização
A Secretaria de Educação terá atuação em dois focos nos dez municípios: a alfabetização e a evasão escolar.  “A primeira ação será no combate ao analfabetismo. Fizemos parceria com a Unesco, que desenvolverá conosco um projeto de alfabetização de adultos”, explicou a secretária de Estado de Educação, Fátima Gavioli.
Outro trabalho paralelo é a recuperação da estrutura física das unidades escolares. Além disso, ocorre a distribuição de notebook e carteiras escolares, computadores e a formação de professores. Segundo Fátima, o trabalho ocorre independentemente de onde o município está, da dificuldade de visitá-lo, monitorar ou avaliar, já que o objetivo é justamente diminuir as desigualdades. “Estamos dando a contrapartida da Educação para que as coisas possam realmente levar para essas pessoas um ensino de qualidade e a certeza de que o governo trabalha para todos”, assegurou.
Uma da principais frentes de ação será a recuperação da Escola Família Agrícola, um modelo de sucesso pelo País, onde o aluno faz um curso profissionalizante e o ensino médio no meio rural. A proposta é que, durante 15 dias, os jovens fiquem na escola, imersos, estudando de manhã e à tarde, como um semi-internato.
“Quero propor a dinâmica de envolver a Emater, a Embrapa, as instituições que fazem pesquisa no campo. De tal maneira que, o que ele aprendeu nos 15 dias que ficou na escola, quando retornar para casa, o laboratório dele será lá mesmo. Levaremos um técnico que vai avaliar as técnicas aplicadas, enfim, uma integração completa”, explicou a secretária de Educação.
Animada com a proposta, a primeira-dama se comprometeu em ajudar o governador a resgatar a Educação rural em Goiás. Hoje, há somente três escolas em um Estado onde a agropecuária é o motor da economia. Os prefeitos das dez cidades mais vulneráveis se dispuseram a abraçar o projeto.
Secretário de Educação de Goiânia, o professor Marcelo da Costa também participou da reunião como presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). Ele fez questão de destacar o bom trabalho que tem desenvolvido na capital em parceria com a secretária Fátima Gavioli.
Apoio
“Colinas do Sul vai completar 30 anos e nunca vi em sua história uma primeira-dama ir à cidade e fazer o que Gracinha está fazendo. Ela fez questão de ir a cada escola e assentamento para conhecer a realidade. O Estado está de parabéns”, ressaltou o prefeito de Colinas do Sul Nilo Adriano Almeida.
O prefeito de Cavalcante, Josemar Saraiva, afirma que sai de cada reunião envolvendo o Gabinete de Políticas Sociais com a certeza de que os municípios vão dar a volta por cima. Já o secretário de Finanças de Monte Alegre, Gilvan Carlos Fernandes, agradeceu o governo estadual por estar de mãos dadas com os municípios mais vulneráveis. “Estamos confiantes de que resultados positivos virão”, assegurou.

Newsletter do Jornal Diário do Estado – Assine já!

Comente á vontade!