Idoso é preso suspeito de transportar cocaína para outros países a mando de empresários de goianos

Piloto era responsável por levar 200 quilos de cocaína por semana para outros países como Suriname e Colombia

Um idoso de 63 anos, apontado pela Polícia Federal (PF) como piloto de uma quadrilha composta por empresários do ramo de aviação de Goiás, Pará, Maranhão e por políticos do Suriname, foi preso pela Polícia Militar (PM) neste domingo (15), nas proximidades do Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia. Ele é suspeito de transportar drogas para fora do país por meio de aeronaves. 

O homem, inclusive, era responsável por levar 200 quilos de cocaína por semana para outros países como Suriname e Colômbia. Somente nos quatro primeiros meses, a quadrilha teria movimentado US$ 500 mil (cerca de R$ 2,53 milhões), segundo o Sargento da PM, Rafael de Oliveira Cardoso.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Conforme o militar, as investigações realizadas pela PF deram conta de que uma aeronave do piloto foi apreendida, em novembro de 1999, no interior do Maranhão, com 141 kg de cocaína. Na época, o avião teria sido abastecido em uma fazenda de um goiano suspeito de ter ligações com o narcotráfico.

LEIA TAMBÉM

• Vítima de atropelamento pelo ex, mulher deixa Espanha e volta a Goiânia• Em Goiânia, jovem mata namorada que ameaçou ‘jogar feitiço’ nele• Tráfico de drogas e armas corre solto nas plataformas digitais

“Esse piloto chegou a ficar 11 meses preso por ser pego com a droga. Ele esgotou todos os seus recursos e conseguiu a liberdade na época. Agora, ele deve responder por tráfico internacional e associação para o tráfico internacional”, explicou.

Rafael disse ainda que as investigações da PF apontaram que contas telefônicas do piloto registraram diversas ligações para cinco pessoas no Suriname suspeitas de envolvimento com o narcotráfico.

“O suspeito não foi preso com nenhum tipo de droga e nem resistiu a prisão. Ele foi encaminhado para a Central de Triagem do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e ficará à disposição da Justiça do Pará”.

Tags: