Idoso é preso suspeito golpe em mulher que queria adotar criança ucraniana

Auly Rosa de Paula, de 64 anos, foi preso pelo crime de estelionato. Idoso já possuí outras 20 passagens pela polícia

O conflito entre Rússia e Ucrânia vem favorecendo a atuação de criminosos que usam as consequências da guerra para plicar golpes. Auly Rosa de Paula, de 64 anos, por exemplo, foi preso suspeito de receber 2 mil Euros de uma mulher do interior de Goiás, com a promessa de que conseguiria facilitar a adoção de uma bebê ucraniana órfã da guerra.

O montante equivalente a cerca de R$ 10 mil, foi pago pela vítima a Auly, que usava imagens tiradas de um banco de imagens da internet para enganar a mulher. O suspeito que já possuí 20 passagens por crimes como homicídio, roubo e ameaça, foi preso no último dia 15 em uma praia de Belém, no Pará, pelo crime de estelionato.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Segundo o delegado Paulo Ludovico, responsável pelo caso, o suspeito sabia que a vítima tinha vontade de ter um filho. Ele, então, se passou por um trabalhador da imprensa que estaria na Europa ajudando jornalistas a cobrir a guerra entre os dois países, e que poderia ajudar com um suposto processo de adoção. Entretanto, depois de receber o dinheiro, Auly parou de responder as mensagens da vítima, que o denunciou após perceber que havia caído em um golpe.

LEIA TAMBÉM

• Goiás registra um estupro de criança ou adolescente a cada quatro horas• Fazendeiro que mandou matar corretor em Rio Verde tem prisão decretada pela Justiça• Homem oferece chocolate para abusar de criança em Porangatu

“Ele começou a trocar mensagem com essa mulher, informou que estaria em uma cidade da Polônia cobrindo a guerra. Sabendo que essa mulher queria um novo filho, disse que poderia intermediar esse processo, conhecido como engenharia social de adoção. Ele alegava que conhecia um advogado é que o dinheiro era pagar esse profissional que conseguiria essa adoção internacional. Porém, depois de receber o dinheiro, o homem falou que não responderia mais, porque a equipe de reportagem teria o equipamento confiscado. Depois descobrimos que ele estava em uma praia”, explicou.

Tags: