Inflação acelera para 1,25% e outubro tem maior variação desde 2002 em Goiânia

Em Goiânia, a inflação teve um dos maiores aumentos do país com 1,53%. Esse é o maior número desde outubro de 2003

A inflação acelerou para 1,25% em outubro, a maior para o mês desde 2002, quando o índice foi de 1,31%. Os dados são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (10).

Com isso, o indicador acumula altas de 8,24% no ano e de 10,67% nos últimos 12 meses. Todos os nove grupos de produtos e serviços pesquisados subiram no mês de outubro, com destaque para os transportes (2,62%), principalmente, por conta do combustível (3,21%). A gasolina teve um aumento de 3,10%, registrando mais impacto individual no índice do mês. Essa foi a sexta alta consecutiva nos preços do combustível, que acumula 38,29% de variação no ano.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

“Transportes tiveram a maior variação e o maior impacto (0,55 p.p) de longe no índice do mês”, afirma o gerente do IPCA, Pedro Kislanov. A alta da gasolina está relacionada aos reajustes sucessivos que têm sido aplicados no preço do combustível, nas refinarias, pela Petrobras. Além gasolina, houve aumento também nos preços do óleo diesel (5,77%) do etanol (3,54%) e do gás veicular (0,84%)”.

Outro destaque foi a aceleração dos preços no transporte por aplicativo (19,85%), que já haviam subido 9,18% em setembro.

Alimentos e bebidas

Já o aumento no grupo de alimentos e bebidas teve um crescimento de (1,17%), sendo a segunda maior contribuição no IPCA. Entre os alimentos mais caros estão o tomate (26,01%) e a batata-inglesa (16,01%), que fizeram aumentar a alimentação em domicílio em 1,32%.

Também subiram o café moído (4,57%), o frango em pedaços (4,34%), o queijo (3,06%) e o frango inteiro (2,80%). Por outro lado, recuaram os preços do açaí (-8,64%), do leite longa vida (-1,71%) e do arroz (-1,42%).

O gás de botijão também subiu pelo 17º mês consecutivo em outubro, acumulando uma alta de 44,7% desde junho de 2020.

Altas no preços

A maioria das variações de preço no mês de outubro foram encontradas na região Metropolitana de Vitória e no município de Goiânia, ambos com 1,53%, essa é a maior alta do país.

Em Goiânia, além da energia elétrica (5,34%), a gasolina também teve um crescimento expressivo com 4,24%. Essa é a maior alta nos preços da capital desde fevereiro de 2003.

IPCA

O Índice Nacional de Preços ao Consumidos (INPC) teve alta de 1,16% em outubro, também o maior resultado para o mês desde 2002. No ano, o indicador acumula alta de 8,45% e, em 12 meses, de 11,08%, acima dos 10,78% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em outubro de 2020, a taxa foi de 0,89%.

O IPCA abrange as famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos, enquanto o INPC com rendimento de 1 a 5 salários mínimos.

Tags: