Inimigo número 1 do PCC é preso em Goiás

Piloto entregou cúpula da facção criminosa e acabou gerando um prejuízo de aproximadamente R$ 1 bilhão ao grupo

O piloto Felipe Ramos Morais, preso em Goiás, no dia 14 de maio de 2018, em um condomínio de luxo em Caldas Novas é considerado o inimigo número 1 do Primeiro Comando da Capital (PCC).  A Polícia Civil de Goiás contou que, na verdade procurava um piloto de Anápolis que estava desaparecido e era suspeito de trazer drogas do Paraguai para Goiás. No entanto, Felipe foi encontrado no lugar dele, usando um documento falso.

Felipe Ramos Morais foi quem levou os dois líderes do PCC para a morte a bordo de um helicóptero de propriedade de Wagner Ferreira da Silva, o Cabelo Duro, um narcotraficante da Baixada Santista. Uma semana após as mortes de Gegê do Mangue e de Paca, Cabelo Duro foi assassinado com tiros de fuzil no Tatuapé, zona leste de São Paulo. Segundo a Polícia Federal e a Polícia Civil do Ceará, Cabelo Duro recebeu a ordem do também narcotraficante Gilberto Aparecido dos Santos, o Fuminho, braço direito de Marco Willians Herbas Camacho, apontado como líder máximo do PCC, para assassinar Gegê e Paca.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Em entrevista ao Portal Uol, o piloto disse viver com escolta policial desde que foi solto, mas isso não lhe traz total segurança. “Eu não posso negar para você. Tenho muito medo de morrer”, disse Felipe ao UOL. A delação feita pelo piloto permitiu que a Polícia Federal executasse a prisão de dezenas de pessoas envolvidas com o PCC, além do bloqueio de R$ 1 bilhão em bens e em contas bancárias.

LEIA TAMBÉM

• Idoso é preso suspeito de transportar cocaína para outros países a mando de empresários de goianos• Avião que estava desaparecido em Mineiros é encontrado; Bombeiros estão a caminho• Piloto goiano morre após queda de parapente em Minas Gerais

Tags: