Inovação em vestíveis na pandemia é oportunidade para empreendedores

Bruno Pereira

O ano de 2021 traz a promessa de uma série de inovações tecnológicas e saber como sair na frente na importação desses produtos pode ser um ótimo negócio. Com quase 2 mil empresas, o Consumer Electronics Show (CES) 2021 abriu o ano cheio de novidades que se alinham ao contexto da pandemia.

Considerado o maior evento do segmento, ele é uma ótima fonte de informação para empreendedores se prepararem para a chegada das próximas tendências. Dentro do conceito de “inovações para um futuro melhor” do evento, foram apresentadas várias tecnologias vestíveis (ou wearables) inspiradas de alguma forma pela presença do vírus. Entre elas se destaca a Mudra Band, uma pulseira para Apple Watch.

Em um contexto onde um toque descuidado pode carregar um vírus perigoso, o acessório permite que o usuário atenda chamadas ou pule faixas de uma playlist, dentre outras funções do smartwatch, apenas movimentando os dedos.

Outro vestível que impressiona é a máscara facial AirPop Active+. De acordo com especialistas, o uso de máscaras deve continuar sendo obrigatório por um longo período. Assim, a novidade usa conexão via bluetooth para oferecer ao usuário várias informações valiosas sobre a qualidade do ar à sua volta e até sinalizar substâncias que foram filtradas.

Esse mercado de produtos importados relacionados à segurança individual tende a crescer muito junto ao e-commerce em geral, trazendo novas oportunidades. Afinal, a pandemia ainda não acabou e todos nós precisamos nos proteger do vírus. Qualquer inovação que traga um reforço eficaz para isso tem potencial para ser muito bem recebida.

Bruno Pereira é Fundador da Mister Ins e especialista em mercado de importação

Tags: