Judy Garland pode ter sido abusada nas filmagens de "O Mágico de Oz"

65 anos depois de sua estreia, “O Mágico de Oz”, um dos filmes clássicos da era de ouro de Hollywood, está experimentando passando por um renascimento. No ano passado, o museu Smithsonian mobilizou milhares de fãs para a divulgação uma nova saga literária sobre o retorno de Dorothy para a terra de OZ. Mas a experiência real do protagonista da nas filmagens do clássico não foi nada feliz.

O ex-marido de Judy Garland revelou que a atriz foi abusada durante as filmagens. Sidney Luft, ex-marido de Garland, publicou um livro intitulado “Judy and I”. Nele, o autor revela detalhes da vida de Garland e fala sobre o abuso que aconteceu durante as filmagens do filme, lançado em 1939.

• Compartilhe essa notícia no Whatsapp• Compartilhe essa notícia no Telegram

Garland tinha 16 anos quando ela foi escolhida como a menina do Kansas que seria levada ao mundo mágico de OZ. Em uma das mais famosas cenas do filme, os cidadãos de uma pequena cidade dão uma recepção pomposa.

LEIA TAMBÉM

• Vídeo: em Aragarças, criança é resgatada após subir em caixa d’água• Pedestre morre em acidente na BR-153, em Goiânia• Presidente da CEF é investigado por denúncias de abuso sexual

Luft conta que vários dos atores que representavam os cidadãos abusaram colocando as mãos por baixo do vestido da garota. Os homens tinham 40 anos ou mais. “Eles pensaram que poderiam fazer o que quisessem, porque eles eram muito pequenos” Luft escreveu.

A atriz morreu em 2005, mas em uma entrevista em 1967 havia dito que ficavam bêbados a cada noite, enquanto ela com redes tentava apanhar borboletas.

Luft começou seu relacionamento com Garland em 1952 eles tiveram dois filhos, Lorna e Joe Luft, e depois do nascimento da menina Garland sofreu uma depressão pós-parto profunda. Na obra o ex-marido, revelou que ela chegou “a trancar-se no banheiro” e cortar “pescoço com uma lâmina de barbear”. Ele também garante que Garland estava abusando de anfetaminas: “Eu era casada com drogas antes de me conhecer e nunca deixou.” O casal se divorciou em 1965.